TB Responde Computador

4 dicas para escolher um teclado ergonômico

Conheça as principais características de um teclado ergonômico e veja algumas dicas de como escolher o modelo ideal

Victor Toledo
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Usar teclados convencionais pode ser um problema se você passa muito tempo na frente do computador. Por conta disso, usar periféricos ergonômicos são importantes para reduzir o desgaste físico e para aumentar a produtividade, já que você terá menos problemas com o passar do tempo. Dessa forma, conheça algumas dicas de como escolher um teclado ergonômico ideal.

Saiba como escolher um teclado ergonômico (Imagem: Divulgação/Logitech)
Saiba como escolher um teclado ergonômico (Imagem: Divulgação/Logitech)

O que é um teclado ergonômico?

Um teclado ergonômico é um tipo de teclado que procura ajudar aqueles que passam muito tempo na frente do computador, seja para trabalhar, jogar ou estudar. A principal diferença desse periférico para os teclados convencionais é sua estrutura — já que as teclas seguem no padrão QWERTY.

Essa estrutura visa minimizar a tensão muscular e reduzir o esforço físico, trazendo formatos mais acessíveis para o modo no qual as mãos ficam posicionadas ao se utilizar um computador. Além disso, um teclado ergonômico possibilita ajustes de maneira que seu uso diário fique ainda mais confortável e com menor risco de ter problemas por esforço repetitivo.

Dito isso, veja a seguir algumas dicas de como comprar esse tipo de teclado.

Um dos modelos de teclado ergonômico é dividido em duas partes (Imagem: Peppy Toad/ Unsplash)

Dicas para escolher um teclado

Antes de comprar um teclado ergonômico é importante prestar atenção em alguns aspectos como design, estrutura, preço e tecnologias oferecidas. No mercado, é possível encontrar o periférico com diferentes características e valores.

1. Design das teclas

O primeiro aspecto que precisa ser notado é em relação ao design do produto. Alguns modelos oferecem teclas divididas para cada mão, permitindo que o usuário ajuste como quiser. Além disso, existem outros mais convencionais que oferecem apenas um ajuste de curvatura, caso você não queira usar um teclado dividido ao meio.

De acordo com o Grupo de Pesquisa de Ergonomia e Fatores Humanos da Universidade Cornell, em Nova Iorque, os teclados divididos podem aumentar o conforto para pessoas com ombros largos ou aquelas que lutam para manter os braços em uma forma ergonômica adequada durante a digitação.

2. Inclinação e ajuste

Nos teclados convencionais é comum que as pessoas usem os tradicionais “pézinhos” que permitem inclinar o teclado para frente. Entretanto, isso pode ser um fator de risco para seu pulso, já que aumenta o desgaste físico.

Os teclados ergonômicos procuram diminuir esse estresse nos membros e oferecem alguns ajustes para que suas mãos fiquem em repouso mesmo enquanto você trabalha. Além disso, ter uma mesa ergonômica é parte desse processo de mudança e funciona muito bem com esse tipo de teclado.

Logitech é uma das empresas que vendem esse tipo de teclado no Brasil (Imagem: Patrick Capanale/Unsplash)

3. Apoio de pulso

Apesar de trazer uma boa sensação, usar teclados com algum tipo de apoio de pulso não é tão benéfico quanto parece à longo prazo. Ainda de acordo com os estudos da Universidade Cornell, os apoios não ajudam na prevenção de problemas e podem até mesmo piorar a situação caso você faça pressão excessiva dos pulsos nos apoios, ou use de maneira incorreta.

No mercado, existem teclados que trazem esse “extra” e outros não, logo, escolha com sabedoria e de modo que fique confortável para você.

4. Tecnologia

Por fim, a tecnologia presente no teclado também é ponto importante. Alguns modelos contam com teclas de membrana onde o acionamento das teclas é através de uma membrana de três camadas, feita de silicone e borracha. Esse tipo de teclado é mais propenso a apresentar problemas com o passar dos anos.

Já os teclados mecânicos são os preferidos da comunidade gamer e de escritores, por exemplo. Eles são mais duráveis e bem menos propensos a erros, graças à ativação individual das teclas. Com essa tecnologia, é possível digitar de forma mais rápida, com menos esforço e desgaste. Porém, esse modelo é mais caro que o de membrana, principalmente quando falamos de ergonomia.

Com informações: NBC News, Logitech e Goldtouch.

Esse conteúdo foi útil?

Victor Toledo

Analista de conteúdo

Victor Toledo é jornalista formado pela Unesp, com ensino técnico em informática. Antes de entrar para o time do Tecnoblog, em 2021, escreveu sobre informática, eletrônicos e videogames no TechTudo (Editora Globo) e no Zoom. É apaixonado por esportes e passa boa parte do tempo livre em simuladores de corrida e jogos de futebol.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque