Quais são os requisitos para investir no Tesouro Direto?

Com aplicações a partir de R$ 30, o programa é opção viável para ter rendimentos mais seguros; saiba como investir no Tesouro Direto

Victor Hugo Felix
Por

O Tesouro Direto é um tipo de investimento conservador (mais seguro), respaldado pelo Tesouro Nacional, que pode ajudá-lo a atingir seus objetivos financeiros na hora de poupar. Com aplicações a partir de R$ 30,00, diferentes tipos de rendimento e recursos para você escolher as aplicações mais afinadas com as suas metas. O processo é descomplicado e 100% virtual. Veja como investir no Tesouro Direto.

Imagem: App Tesouro Direto - Quais são os requisitos para investir no Tesouro Direto 00
Aplicativo Tesouro Direto (Imagem: Divulgação/ Tesouro Direto)

O que é Tesouro Direto?

Tesouro Direto é um programa da Secretaria Nacional do Tesouro (SNT) criado para democratizar os investimentos em títulos públicos. Por meio dele, cidadãos comuns (como eu e você) podem fazer aplicações mais acessíveis, operando virtualmente.

Os investimentos, os saques e as consultas dos rendimentos são feitos pela internet, seja por meio do site oficial tesourodireto.com.br ou pelo aplicativo (Android/iOS).

O que preciso para investir?

Qualquer pessoa com Cadastro de Pessoa Fìsica (CPF) pode fazer investimentos no Tesouro Direto. Com esse registro, você deve abrir uma conta em algum banco ou uma corretora de investimentos habilitada para operar no Tesouro Direto.

Se você não tem uma conta e não sabe qual (banco ou corretora) escolher, o site do Tesouro Direto oferece uma plataforma para encontrar uma instituição financeira.

O portal tem recursos como o filtro de “Taxa zero” que exibe apenas instituições que não cobram taxas para realizar o investimento no Tesouro Direto e pode facilitar a escolha de uma instituição mais adequada ao seu perfil de investidor.

Como investir no Tesouro Direto / Victor Hugo Felix / Captura de Tela
Site Tesouro Direto (Imagem: Reprodução)

Quanto preciso para investir?

A principal característica do Tesouro Direto é que os investimentos possíveis são de baixo custo. A partir de pouco mais de R$ 30 você consegue fazer suas aplicações.

Quanto rende o Tesouro Direto?

As aplicações do Tesouro Direto têm três tipos de rentabilidade:

  • Tesouro Prefixado, com taxas de juros fixas, ideais para investimentos a médio ou longo prazo;
  • Tesouro Selic, com taxas de juros baseadas na taxa básica da economia (Selic), ideais para investimentos a curto prazo;
  • Tesouro IPCA+, com taxas de juros baseadas ao índice da inflação (IPCA), ideais para investimentos a longo prazo.

As aplicações têm variados prazos de vencimento e fluxos de remuneração, o que permite ao investidor escolher qual melhor se alinha aos seus planos e metas. O site do Tesouro Direto tem um simulador que te permite analisar e comparar com outros tipos de investimentos (sejam eles mais ou menos arriscados para o investidor).

Pelo site e pelo app do Tesouro Direto é possível consultar um orientador financeiro que vai te auxiliar as aplicações que mais se encaixam no seu perfil de investidor.

Que taxas eu pago para investir?

A B3 (Bolsa do Brasil), que opera o Tesouro Direto junto com a Secretaria Nacional do Tesouro, cobra anualmente 0,25% sobre o valor aplicado de todos os investidores. Essa a Taxa de Custódia, ou seja, o preço para a B3 cuidar do dinheiro investido.

Os bancos ou corretores escolhidos que operam no Tesouro Direto também podem cobrar taxas administrativas de até 2% sobre os valores aplicados. No entanto, muitas dessas instituições financeiras não fazem essa cobrança.

O investidor também deve pagar Imposto de Renda (IR) sobre as aplicações, com taxas que variam de 15% a 22,5%. Quanto maior for o tempo da aplicação, menor a cobrança. O Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) deve incidir sobre os resgates de aplicações com menos de 30 dias.

YouTube video

Quando posso resgatar o investimento?

O Tesouro Direto permite que você resgate o valor investido antes da data do vencimento. Contudo, em caso de aplicações Tesouro Prefixado ou Tesouro IPCA+, é preciso estar atento se o valor das aplicações na data do resgate está acima ou abaixo do valor de quando a aplicação foi feita.

Para fazer essa comparação, acesse o extrato do investimento no site ou no aplicativo do Tesouro Direto e veja qual é o preço teórico e o preço de mercado da aplicação. Faça sempre esse procedimento para evitar prejuízos.

Como posso acompanhar meus rendimentos no Tesouro Direto?

Você pode acompanhar os seus rendimentos pelo site ou aplicativo do Tesouro Direto, mas caso precise de ajuda, nós já informamos como acompanhar os rendimentos do Tesouro Direto.

Preciso ter conta em banco para investir no Tesouro Direto?

Sim. É necessário ser cadastrado em uma instituição financeira credenciada para investir no Tesouro Direto. Portanto, será preciso ter conta em um banco ou corretora para realizar o seu investimento.

Qual é a melhor corretora para investir no Tesouro Direto?

É um pouco complexo informar qual é a melhor corretora para cada pessoa. O importante é que ela seja cadastrada no Banco Central e na Comissão de Valores Mobiliários. A partir deste ponto, você deve procurar aquele que oferece os melhores títulos com menos taxas ou sem cobrar taxas. Você pode se aprofundar no assunto, neste texto que explica como encontrar a melhor corretora de investimentos.

Com informações de: Tesouro Direto 1, Tesouro Direto 2.