TB Responde Jogos

Como jogar Curse of the Dead Gods [Guia para iniciantes]

Não corrompa seu espírito; saiba como jogar Curse of the Dead Gods e sobreviva aos labirintos das divindades antigas

Leandro Kovacs
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

No melhor espírito Indiana Jones, o jogo roguelike da Passtech Games oferece a oportunidade de investigar o sobrenatural antigo. Veja abaixo, como jogar Curse of the Dead Gods e viva uma experiência extremamente envolvente. Enfrente inimigos interessantes, perigosos e até mesmo aprenda a operar a mecânica divertida do jogo. O título está disponível para PC (Windows), Xbox One, PS4, Nintendo Switch.

Como jogar Curse of the Dead Gods (Imagem: Leandro Kovacs/Reprodução)

1. Não se deixe corromper

Uma das mecânicas mais interessantes do game é o medidor de corrupção. Conforme o jogador avança pelo templo, há várias coisas que aumentam o medidor. Entrar em uma nova sala, curar, comprar novos itens usando sangue e até mesmo certos ataques inimigos aumentam o medidor de corrupção. 

Atenção máxima a barra de corrupção no canto direito (Imagem: Leandro Kovacs/Reprodução)

Ao preencher a barra totalmente, recebe-se uma maldição, que são efeitos negativos de status que podem tornar a jornada mais difícil. Existem maneiras de combater e remover a corrupção e as maldições, mas podem ser difíceis de encontrar. Por esta razão, os jogadores devem estar atentos ao seu medidor.

Maldições dificultam a vida do jogador (Imagem: Leandro Kovacs/Reprodução)

2. Duas moedas: ouro e sangue

Existem outras ao longo do Curse of the Dead Gods. As principais, ouro e sangue, são usadas para comprar armas ou relíquias durante uma investida. 

A principal moeda é o ouro, mas se não tiver o suficiente, pode-se oferecer sangue. Isso aumenta a corrupção, mas poderá ser uma boa escolha ocasionalmente. 

Se o jogador está tentando economizar seu ouro para outra coisa, tem pouca corrupção no momento, ou tem um certo efeito de status relacionado a ofertas de sangue, então é uma boa estratégia, mesmo que o coloque mais perto de receber uma maldição.  

Basicamente tudo pode ser comprado com ouro ou sangue (Imagem: Leandro Kovacs/Reprodução)

3. Um presente para os Deuses

Os jogadores encontrarão diversos tipos de armas no mundo enquanto jogam a aventura e são capazes de alternar de uma arma para a outra com facilidade. O problema é que, uma vez que a arma é trocada, ela deve ser abandonada para sempre no solo.

No entanto, as armas abandonadas não são completamente inúteis e, em vez disso, os jogadores podem usá-las a seu favor, oferecendo a velha arma aos Deuses. 

Isso concederá novas relíquias, aumentos de estatísticas ou até mesmo a capacidade de reduzir a corrupção. A dica é fazer isso com todas as armas antigas.

Ao invés de deixar itens antigos no chão, ofereça aos Deuses (Imagem: Leandro Kovacs/Reprodução)

4. Tema o escuro

A escuridão é uma das coisas mais perigosas que os jogadores podem encontrar. A tocha que se recebe no início do jogo foi fornecida por um motivo e deve ser usada sempre que possível. 

Isso ocorre porque muitas das armadilhas no jogo estão obscurecidas, a menos que o personagem aponte sua tocha para revelá-las. Além disso, o dano que recebe-se enquanto está na escuridão, tem um aumento de 20%. 

Resumindo, os aventureiros que querem se sair bem devem tentar manter sua tocha acesa sempre que estiverem lutando contra inimigos e acender os braseiros assim que possível.

Combates no escuro aumentam as chances de morte (Imagem: Leandro Kovacs/Reprodução)

5. Muito além da esquiva

A maioria dos roguelikes não tem uma mecânica de combate complicada, mas Curse of the Dead Gods é uma exceção. Na busca por sucesso, é importante melhorar as habilidades e tirar proveito de três mecânicas diferentes sempre que possível: Esquivar, Aparar e Mortes em série.

Ao esquivar de um ataque no último segundo, se restabelecer um ponto de vigor. Se o jogador bloquear o inimigo no exato momento do ataque, pode-se desencadear um “aparar” que recupera dois pontos de resistência e atordoa o inimigo. 

As mortes em série, no entanto, são feitas sem sofrer danos. Quanto mais tempo o jogador passa sem ser ferido, mais ouro os inimigos fornecem após a morte. Cada uma dessas mecânicas é incrivelmente útil.   

Esquivar e aparar no momento certo trazem muitas vantagens (Imagem: Leandro Kovacs/Reprodução)

6. Não indicado para teclado e mouse

Pelo amor de Deus – ou dos Deuses – o melhor conselho que alguém pode receber ao jogar Curse of the Dead Gods é que deve-se evitar completamente  usar o teclado e o mouse.

Há uma razão pela qual o jogo vem com um aviso de isenção de responsabilidade, o próprio game recomenda o uso de um controle, porque o jogo é muito mais difícil quando não é utilizado.

Os jogadores devem fazer um favor a si mesmos e pegar seu controle de PlayStation ou Xbox, se possível. Caso não tenha, é grande a chance de ficar com tendinite.

Página oficial: Focus. 

Esse conteúdo foi útil?

Leandro Kovacs

Leandro Kovacs é carioca, jornalista e um tanto quanto nerd. Cresceu em meio aos grandes avanços tecnológicos e atravessou a ponte do analógico para o digital. Seu primeiro contato com tecnologias foi na TV, onde com seu pai aprendeu a compreender e trabalhar nesse ramo. Não querendo ser engenheiro, porém sempre curioso, optou pela carreira de jornalismo, ficando mais próximo daquele meio de “televisão”.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque