O que é e como funciona o Rumble

Conheça a plataforma de vídeos dita como imune à cultura do cancelamento, que pretende rivalizar com o YouTube usando uma proposta diferente

André Leonardo
Por

O Rumble é uma plataforma de compartilhamento de vídeos que começou a ficar conhecida por brasileiros em 2022, após a ida de alguns podcasters para o serviço que prega ser uma plataforma neutra, a favor da diversidade de ideias e da liberdade de expressão. Veja o que é como funciona o Rumble.

Imagem Rumble celular
Rumble (Imagem: Reprodução)

Apesar do serviço começar a ficar mais conhecido pelos brasileiros em 2022, o Rumble existe desde 2013, quando foi criado por Chris Pavloviski, programador e ex-funcionário da Microsoft.

Segundo seu criador, o serviço surgiu com objetivo de ser uma plataforma de compartilhamento de vídeos focada em dar espaço ao discurso livre, valorizando autenticidade dos criadores de conteúdo e contra a cultura do cancelamento. O Rumble informou que em 2021 a plataforma contava com mais de 36 milhões de usuários ativos, o que ainda pouco se comparado ao YouTube que contava com mais de 1.86 bilhão de usuários no mesmo ano.

Embora muitas personalidades presentes na plataforma não sejam conhecidas no Brasil, o serviço conta com a presença do ex-presidente norte-americano, Donald Trump, que publica semanalmente vídeos de encontros com apoiadores.

Apesar de a plataforma ter muito conteúdo envolvendo política, finanças, opiniões polêmicas e algumas vezes, informações não muito confiáveis, também é possível encontrar conteúdos virais mais leves como vídeos de gatos, curiosidades, videogames e outros materiais relacionados ao entretenimento.

O serviço funciona de maneira bastante semelhante ao YouTube, ou seja, você pode acessar vídeos dos canais e personalidades que conhece ou procurar por novidades e temas específicos. Na primeira página existe um campo chamado “Top Videos” que funciona de forma semelhante ao “Em Alta” do YouTube.

O que é o Rumble - imagem página inicial Rumble
Página inicial do Rumble (Imagem: Reprodução/ Rumble)

O que você pode fazer no Rumble

  • Assistir vídeos no site;
  • Assistir vídeos no aplicativo;
  • Criar um canal;
  • Assistir e criar lives;
  • Postar vídeos na plataforma;
  • Fazer comentários; 
  • Avaliar vídeos com likes e dislikes;
  • Monetizar conteúdo; (Caso seus vídeos sejam aprovados) 

Monetização como atrativo

Um fator que pode atrair novos usuários está relacionado com a facilidade de monetizar vídeos, pois no Rumble não é necessário ter um número determinado de inscritos em seu canal e seguir tantas exigências como nas regras de monetização do YouTube.

Em 2021, o Rumble também adquiriu o Locals, uma plataforma que permite pessoas apoiarem financeiramente criadores de conteúdo através de um sistema de assinatura, em que é possível doar “Coins”, as moedas da plataforma, que podem ser convertidas em dinheiro. É um sistema parecido com o utilizado na Twitch.

Rumble no Brasil

O Brasil entrou nos planos do serviço ao informar que o podcaster Monark, após ter seu canal desmonetizado no YouTube e depois excluído, em decorrência de suas declarações polêmicas sobre o nazismo, assumiu um podcast exclusivo na plataforma. Outro nome conhecido, mas de um espectro ideológico diferente a entrar na plataforma é o ativista de esquerda, autor e rapper, Ferréz. 

A estratégia do serviço parece ter o objetivo de investir em criadores de conteúdo focados em opinião, que estavam com alguma espécie de restrição ou não concordavam com as políticas do YouTube.

Liberdade de expressão x fake news

Devido a sua natureza em favor do discurso livre, o Rumble permite que os usuários postem conteúdo sem muitas restrições, embora existam alguns limites que não podem ser ultrapassados como postar conteúdo pornográfico, falar sobre esquemas de pirâmides e incitar discursos de ódio.

Apesar destas restrições, a plataforma não faz uma moderação rigorosa e não deixa muito claro como acompanha e aplica punições aos criadores que não respeitam as regras. Afinal, em uma busca simples, foi fácil encontrar muito conteúdo antivacina sem qualquer comprovação científica.

O Rumble pode ser uma nova plataforma alternativa para consumir vídeos ou mesmo monetizar seu conteúdo, mas assim como em outros serviços é necessário ficar atento quanto as informações encontradas por lá.


Com informações: Rumble, Semrush

André Leonardo

Analista de Conteúdo

André Leonardo é jornalista e radialista formado pela UCAM, com MBA em Mídias Sociais. Trabalhou por 15 anos no mercado audiovisual em empresas como TV Brasil e TV Globo antes de entrar para o Tecnoblog, em 2020. Apaixonado por games, produziu conteúdo para sites e seu canal no YouTube. Já foi judoca, skatista e atualmente está começando a encarar corridas leves.

Relacionados

Relacionados