O que é uma plataforma white label?

Produzido por um e vendido por outros; saiba o que é uma plataforma white label, quais são suas aplicações e vantagens

Leandro Kovacs
Por

Em negócios, muitas vezes comprar um produto “sem marca” e customizá-lo para revenda como se fosse um produto de sua empresa é um método comum. Veja abaixo, o que é uma plataforma white label, quais são suas aplicações em diversos mercados, as vantagens e situações que exigem uma atenção maior ao optar pela modalidade.

O que é uma plataforma white label? (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
O que é uma plataforma white label? (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Definindo white label

O termo white label refere-se a bens ou serviços que são produzidos por uma empresa e, em seguida, adquiridos por outra empresa para renomear e vender como seus. Por exemplo, a maioria dos produtos de “marca de loja” dos supermercados são criados por empresas que produzem itens larga escala e os vendem a várias mercearias ou pequenos mercados. A plataforma white label é esse modelo de negócios.

Se observarmos pelo lado da criação de conteúdo, o ghostwriting é a criação de um produto white label. O escritor faz o artigo, livro etc. abre mão dos direitos de criação e vende-os a uma segunda empresa ou pessoa que assinará o trabalho sem ter feito parte dele.

Nos ramos tecnológicos já está presente com “soluções gerais” de softwares feito por um programador ou empresa e, em seguida, vendido — ou alugado — a outra empresa para customizar as versões de acordo com a necessidade do seu cliente.

Como funciona

E-commerce

O cenário é: uma empresa interessada em adquirir uma solução através de uma plataforma white label que seja um varejista e atue no ambiente online. O que poderia ser interessante para ampliar suas vendas? Programa de pontos, fidelidade ou descontos acumulativos por indicações. Quanto é preciso para a própria empresa criar esses programas e colocá-los ativos? A resposta é muito tempo e dinheiro.

As empresas que vendem produtos white label para e-commerce focam exatamente nisso, já tem os programas totalmente funcionais, para que o cliente varejista compre, coloque a marca e os lance rapidamente, sem a maior parte do custo em pesquisa, criação ou implementação.

Treinamentos corporativos

Criar um portal de treinamentos para funcionários também é custoso e exige tempo. Algumas empresas vendem produtos white label para esses casos. O software se concentra no treinamento de funcionários e permite que as empresas carreguem seu próprio logotipo e personalizem o estilo para combinar com sua marca.

Quando os funcionários fazem login no portal de treinamento, a aparência reflete o restante do site da empresa. Utilizar um produto white label de software de treinamento reduz o risco da empresa contratante.

É a prevenção ao risco de gastar tempo e dinheiro para desenvolver a plataforma apenas para ter que voltar e corrigir falhas. Em vez disso, compra-se uma solução já em funcionamento e garante aos funcionários uma experiência de integração tranquila e agradável.

Economizando tempo e dinheiro com aquisições em plataformas white label (Imagem: Aron Visuals/Unsplash)
Economizando tempo e dinheiro com aquisições no modelo white label (Imagem: Aron Visuals/Unsplash)

Quando considerar uma solução white label

Alguns pontos situacionais trazem as soluções white label como vantajosas, rápidas e baratas. É uma boa opção quando a empresa:

  1. Deseja ampliar os serviços que fornece para os clientes;
  2. Precisa criar uma identidade e representação digital rapidamente para negócios recém criados;
  3. Atrair clientes maiores: normalmente, os grandes players valorizam soluções “one-stop” que possam atender a todas as necessidades da empresa no mesmo fornecedor, os white label permitem ampliar o leque de serviços;
  4. Ampliar a evolução dos processos internos, adicionando uma solução digital.

Vantagens

  • Economia de tempo: criar o próprio software ou plataforma leva muito tempo e esforço;
  • Custos menores;
  • Se apresentar ao mercado sendo mais “robusto”: alguns mercados são extremamente competitivos e é importante fazer uma declaração sobre sua força imediatamente;
  • Retornos rápidos: pela economia de tempo, vários estágios são ultrapassados rapidamente, agilizando a fase de “retorno do investimento”;
  • Liberdade para trabalhar focado: sem a necessidade de se preocupar em criar essas soluções, a empresa fica mais tranquila perseguindo seu ponto focal;
  • Ampliar a percepção de valor do cliente em relação a empresa.

Pontos de atenção

  • Limitar oportunidades de aprendizado: comprar a solução pronta impede a empresa de amadurecer no processo;
  • Responsabilidade por qualquer “defeito”: nos produtos white label a marca aparente é de quem fez a aquisição, qualquer problema será responsabilidade da empresa que comprou a solução, ferramenta, produto;
  • Pode ser um caminho sem fim: cliente tem sempre razão, mas quando se oferece mais e mais serviços, existe a chance de nunca ficar satisfeito e querer cada vez mais soluções;
  • Problemas de suporte: a marca que está aparente é de quem comprou, mas o suporte é da empresa que criou o software, poderá ser uma relação de dependência;
  • Relação de qualidade X preço: o tempo deve ser gasto para fazer a melhor escolha da solução white label. Por pontos citados anteriormente, priorize a qualidade em relação ao preço;
  • Opte por um bom fornecedor oculto: não adianta comprar uma solução e colocar sua marca se o “provedor” também for reconhecido amplamente no mercado pela mesma “ferramenta”, se tornará um concorrente.

As aplicações existem nos mais diversos mercados. Com essas informações sobre o que é uma plataforma white label já temos uma base para entender melhor o conceito de modelo de negócios.

Com informação: Technology advice, Amgrade.

Leandro Kovacs

Ex-autor

Leandro Kovacs é jornalista e radialista. Trabalhou com edição audiovisual e foi gestor de programação em emissoras como TV Brasil e RPC, afiliada da Rede Globo no Paraná. Atuou como redator no Tecnoblog entre 2020 e 2022, escrevendo artigos explicativos sobre softwares, cibersegurança e jogos.

Relacionados

Relacionados