Início / TB Responde / Negócios /

O que significa migração de dados?

Entenda o que é migração de dados, seus tipos, os cuidados necessários para realizá-la e suas possíveis vantagens

Alvaro Teixeira

Por

TB Responde
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

De forma mais simples, podemos considerar como migração de dados qualquer transferência de dados de um local ou formato para outro, como por exemplo, se você resolver mudar seus dados do computador para um HD externo. Porém, o termo é normalmente usado para tratar de mudança de grandes bancos de dados de empresas para outros serviços. Entenda a seguir.

O que significa migração de dados? (Imagem: Tecnoblog)

Os bancos de dados são parte fundamental da estrutura de TI de muitas empresas. É lá e nos seus servidores que estão alocados os sistemas integrados, serviços de comunicação e informações de uma companhia. Os motivos que levam uma instituição a realizar uma migração de dados normalmente envolvem segurança, redução de custos ou melhorias no negócio.

Tipos de migração de dados

Existem alguns tipos de migração e eles são determinados de acordo com a necessidade e os objetivos da mudança.

  • Migração de armazenamento: mudança do local e formato de armazenamento dos dados, por exemplo: mudança de dados de um servidor local para outro, com o objetivo de adequar os acessos necessários ao banco por outros programas ou setores;
  • Migração em nuvem: movimentar dados de um data center na nuvem para outra nuvem, ou ainda, de um armazenamento local para a nuvem, o que também pode ser considerada migração de armazenamento;
  • Migração de aplicativos: mudar sistemas integrados, programas e aplicativos com seus banco de dados de um ambiente para outro, seja entre nuvens ou outro servidor;

Quais os riscos e cuidados?

Toda migração tem riscos e necessita de cuidados, já que estamos falando de movimentação de dados sensíveis para empresas, negócios, instituições ou até mesmo os seus pessoais. Veja alguns fatores que devem ser considerados e exigem atenção:

  • Análise de impactos: ao migrar dados de um sistema integrado, por exemplo, ele precisará ser parado durante a operação. Mensurar e se planejar para os impactos ao tornar dados inacessíveis temporariamente é fundamental;
  • Escolha do método de migração: a metodologia usada para movimentar dados também precisa ser feita com experiência e cautela afim de evitar falhas no processo;
  • Responsáveis pelo processo de migração: certifique-se de que alguém possa acompanhar todo a movimentação até a sua conclusão;
  • Testes: com a transferência concluída, elabore e realize testes dos mais diversos tipos para checar se os objetivos foram alcançados sem falhas;
  • Backup: por último, mas não menos importante, tenha um backup de todos os dados envolvidos na movimentação. Parece óbvio, mas é importante ressaltar que as informações que são transferidas correm risco de se perderem em caso de falhas;

Vantagens da migração de dados

São vários os motivos que levam uma empresa ou negócio a realizar a migração de seus dados para outros servidores ou locais de armazenamento. A companhia pode reduzir custos ao transferir tudo para a nuvem, facilitando o acesso às informações de outros lugares e evitando os gastos com a manutenção de um datacenter físico próprio.

A segurança também é uma das razões mais relatadas ao se tratar de movimentação de dados. As informações e dados alocados somente em um servidor local, por exemplo, estão mais expostas a falhas técnicas, problemas de hardware ou vulneráveis a ataques.

Por fim, a otimização do acesso ao banco de dados e a melhoria da integração entre programas que o utilizam, junto com a adequação dos setores de uma empresa podem levar a um melhor desenvolvimento do negócio, reduzindo custos e elevando o seu desempenho.

Com informações: NetApp.