Início / TB Responde / Aplicativos e Software /

Como instalar mais pincéis, gradientes e paletas no GIMP

Por

Reconhecido por muitos como um dos melhores softwares livres para edição de imagens (e odiado pelos puristas que não aceitam alternativas ao Photoshop), o GIMP já pode perfeitamente ser usado profissionalmente por quem não quer gastar os tubos com programas pagos. O problema está na principal reclamação de quem torce o nariz para o GIMP: a falta de diferentes pincéis e ferramentas extras já prontas e instaladas pode ser um pouco limitante, exigindo mais trabalho ou tornando criações mais complexas inviáveis.

Mas e se pudéssemos aumentar sem grande esforço a capacidade do GIMP, instalando centenas de novas ferramentas? É o que propõe o Gimp Paint Studio, um conjunto de pincéis, gradientes, padrões e outras ferramentas para o GIMP que é liberado para uso pela licença Creative Commons, e que pode ser instalado sem maiores complicações até por quem não é usuário avançado. E é justamente a instalação desse pacote que mostraremos como fazer a partir de… agora! 🙂

Instalação do Gimp Paint Studio

Estou partindo do princípio de que você já possui o GIMP instalado em seu computador. Caso contrário, você pode baixar e instalar a versão para Windows aqui, e a versão para Mac OS X aqui. As versões para Linux quase sempre já vêm instaladas por padrão, e você pode usar o gerenciador de programas da sua distro para baixá-lo e instalar.

Download | GIMP
Baixatudo | GIMP

Com o GIMP instalado, baixe a última versão do GPS no site do projeto (no momento, a versão mais nova é a 1.5.0 beta). Depois de baixar, descompacte o arquivo em qualquer lugar e você terá toda uma estrutura de pastas. Aqui, começa a jogada. Dependendo do sistema operacional você está usando, a pasta do GIMP pode estar em uma localização diferente. Por padrão, se você está com o GIMP 2.6 instalado, você deverá encontrá-las aqui:

  • Windows 7: C:\Documents and Settings\usuário\.gimp-2.6
  • Mac OS: /Users/usuário/Library/Application Support/Gimp
  • GNU/Linux: /home/usuário/.gimp-2.6

Troque “usuário” pelo seu nome de usuário e pronto, a pasta estará lá. Perceba que a estrutura criada pelo GPS é bem parecida com a estrutura do GIMP, certo? Temos pastas “brushes”, “gradients”, “palettes” e outras. Então, se você quiser adicionar apenas novos pincéis ao GIMP, arraste (ou copie e cole) a pasta “brushes” da pasta criada pelo GPS para a pasta da sua instalação do GIMP. Se quiser instalar todas as novas ferramentas, arraste todas as pastas. Simples assim, nenhum arquivo será sobrescrito.

Captura de tela do Windows Explorer (Windows 7)

Basta arrastar de uma pasta para outra | Clique para ampliar

Existem dois arquivos extras: sessionrc e toolrc. Esses arquivos mudam a posição e ordem das janelas do GIMP e adicionam as configurações necessárias para as ferramentas do GPS, respectivamente. A cópia desses arquivos não é obrigatória, até pelo fato deles sobrescreverem as configurações existentes. Antes de copiá-los, faça um backup dos arquivos originais, assim será mais fácil retornar à configuração padrão caso você não tenha gostado do GPS.

Usando o GIMP com mais recursos

Pronto, inicie (ou reinicie) o GIMP, e as novas funções estarão lá. Agora, é começar a brincar e remover aquele PhotoShop pirata que você tem instalado aí. 🙂

Infelizmente, minhas habilidades como designer se resumem a basicamente recortar print-screens (essa aí de cima ficou realmente boa, não?), então não poderei testar algumas das ferramentas novas, mas se você ainda não está convencido da capacidade do GPS, confira o vídeo abaixo, mostrando o que é possível fazer com o combo GIMP + GPS:


(YouTube)

Além disso, na própria página do projeto há uma coleção de tutoriais que você pode assistir ou até baixar. Divirtam-se!