Início
Razão Social Spotify Technology S.A.
Fundação 23 abril, 2006
Estocolmo, Suécia
Website Oficial www.spotify.com

Spotify

O Spotify é um serviço de streaming de áudio fundado em 2006, na Suécia. Não por acaso, surgiu no mesmo país que um dos principais sites de torrent do mundo, o Pirate Bay.

Na época, os streamings ainda estavam começando e a pirataria era forte na indústria musical, cujo modelo de negócios predominante era a venda de álbuns. Assim, Daniel Ek e Martin Lorentzon criaram seu serviço, pensado para disponibilizar o acesso à biblioteca de músicas via assinatura ou gratuitamente com limitações. Após diversas negociações, a plataforma enfim foi lançada em 2008.

Logo no ano seguinte, houve a estreia da versão mobile e o marco de um milhão de reproduções atingido pela música “Poker Face” no streaming — que ainda nem havia chegado aos EUA. O sucesso também foi o início de uma polêmica que continuou pelos próximos anos, já que cantora Lady Gaga teria recebido apenas US$ 167 em royalties pela reprodução do seu trabalho.

Na década seguinte, o Spotify, presente inicialmente apenas em alguns países da Europa, começou a expandir. Assim, chegou aos Estados Unidos em 2011, passando a concorrer diretamente com iTunes e Amazon Music, e três anos depois, ao Brasil. Logo, se consolidou como um dos líderes do segmento e começou a ser integrado a diversas rede sociais, aplicativos e dispositivos.

Até 2014, também já havia comprado as empresas Tunigo e Echo Nest, para aprimorar recursos da plataforma, como a descoberta de músicas, playlists, e outros. Além disso, também nesse ano, houve o caso de maior repercussão da polêmica dos royalties, relacionado à cantora Taylor Swift, que questionava o baixo retorno do streaming e terminou boicotando-o por três anos.

Em 2015, em meio aos debates, dois estudos concluíram que o Spotify enfraqueceu a pirataria, mas também dificultou o uso de meios mais lucrativos de venda de músicas. Nos anos seguintes, a empresa trabalhou em iniciativas de transparência, como o “Loud & Clear”, e soluções para artistas publicarem suas canções de forma independente, eliminando terceiros da distribuição de royalties.

Logo, o Spotify também deixou de ser focado apenas na distribuição musical. Ainda em 2015, a plataforma começou a transmitir podcasts, e em 2019, comprou a Anchor, para produção de conteúdos originais. Dois anos depois, também abriu possibilidade para entrar no mercado de audiobooks, com a compra distribuidora e produtora de conteúdos nesse formato, Findaway.

Ao final de 2021, a plataforma registrava 172 milhões de usuários pagos e mais de 380 milhões de ouvintes ativos. No mesmo ano, a empresa foi avaliada em US$ 44,56 bilhões.

Continue lendo »

Artigos de Spotify