thumb-sopa-protect-ip-bandeira

Internautas dos Estados Unidos montam um protesto virtual para disseminar palavras de ordem contra duas propostas de lei que, até agora, deram muito o que falar. Em debate está a capacidade de entidades estadunidenses protegerem a propriedade intelectual das companhias originadas naquele país de uma forma mais incisiva e facilitada. O receio, por parte dos internautas, é de que a censura tome vez.

Por trás da Stop Online Piracy Act (SOPA) e da PROTECT IP está o interesse dos legisladores do Senado em dar um tratamento mais pesado para evitar que continuem com a festa de filmes, músicas, software e conteúdos similares de forma indiscriminada na rede, com direito a milhões de pessoas conectadas em redes – você sabe do que estou falando – compartilhando esses bits de conteúdo. Leia mais

thumb-netflix-logo

Certa vez eu perguntei na minha conta no Twitter o quanto meus seguidores estariam dispostos a pagar para ter acesso em tempo real a canais como ABC, CBS e NBC – as três grandes redes dos Estados Unidos. Muita gente se mostrou favorável à cobrança para assistir junto com os americanos aos novos episódios de séries. Pode ser que, num futuro próximo, isso não seja mais necessário. A Netflix está dando apenas o primeiro passo rumo a esse futuro. Leia mais

thumb-google-tv

Quando o Google apresentou sua plataforma para assistir à televisão, muita gente comemorou. Certamente os executivos das grandes redes de televisão não estão entre os felizardos. E antes mesmo dos produtos com a Google TV começarem a ser vendidos, essas emissoras já demonstram insatisfação com a nova plataforma. Nos Estados Unidos, as principais redes já bloqueiam o acesso de dispositivos baseados na Google TV a seus conteúdos.

Leia mais

Pai do Justin: figuraça

Pai do Justin: figuraça

Há pouco mais de três meses o norte-americano Justin Halpern, de 29 anos, criou o perfil @shitmydadsays no Twitter para postar as bizarras frases que hora ou outra seu pai de 73 anos soltava por acidente, como “O Tenesse é legal. A primeira vez que eu vomitei foi lá, acho” ou “A pior coisa que você pode ser é um mentiroso. Ok, a pior coisa é ser um nazista, depois um mentiroso. Nazista 1, mentiroso 2”, e não demorou para que ele se tornasse tremendamente popular, reunindo mais de 700 mil seguidores, apesar dos mirrados 72 tweets feitos até agora.

O resultado é que Halpern conseguiu um acordo para escrever um contrato para levar seus tweets para a televisão pela rede de TV CBS, que atualmente exibe a série que é a toda-queridinha dos geeks de todo mundo, a genial Big Bang Theory (e, vá lá, CSI). O rapaz também será um dos responsáveis pelos roteiros do show, que será produzido por David Kohan e Max Mutchnick, que já fizeram a série Will & Grace, sucesso absoluto nas reprises da TV fechada.

O programa ainda não tem data para chegar à telinha, e certamente a palavra shit deverá ser substituída por outra coisa até lá. [Hollywood Reporter]

videopapelPara anunciar a nova temporada das suas séries de TV o canal americano CBS, em parceria com a empresa de refrigerantes PepsiCo, planeja colocar chips de vídeo com propagandas na edição de 18 de setembro da revista Entertainment Weekly, especialmente para assinantes nas cidades de Los Angeles e Nova Iorque.

Segundo George Schweitzer, presidente de marketing da empresa, é a primeira vez que esse tipo de anúncio é utilizado. A tecnologia que tornou possível essa propaganda foi feita por uma empresa chamada Americhip, que diz ser especializada em estratégias de marketing que usam todos os cinco sentidos. Cada chip suporta até 40 minutos de vídeo.

Os anúncios terão vídeos relacionados com os programas do horário nobre das segundas-feiras da CBS e do refrigerante Pepsi Max. E de acordo com Caroline McCarthy, as mini-telas também acompanharão um chip de áudio para tocar o som do vídeo. [Cnet]

[Atualização às 17:41]: De acordo com o porta-voz da Americhip, a tela é reforçada com policarbonato protetor, tem apenas 2,7 milímetros de espessura e é de TFT LCD com resolução de 320 x 240 pixels. A bateria dura entre 65 e 70 minutos e pode ser recarregada através de uma porta mini-usb na parte de trás do dispositivo.

michael-jackson-web-especialO mundo se prepara para assistir ao funeral do cantor Michael Jackson, que vai acontecer no Staples Center, em Los Angeles. Artistas como Mariah Carey, Liza Minelli, e Justin Timberlake estarão presentes ao evento, uma última despedida ao rei do pop. Como apenas 18 mil pessoas poderão entrar no ginásio do Staples Center, será através da televisão e da internet que a maior parte dos fãs poderão assistir aos shows e homenagens a Jackson.

Apenas emissoras norte-americanas foram autorizadas a gerar imagens do funeral, que serão transmitidas para os cinco continentes. A internet também não ficará de fora, e grandes sites já se preparam para a cobertura ao vivo.

O portal de notícias G1 liberou o acesso à cobertura que está sendo feita pela GloboNews em vídeo (ambas são empresas das Organizações Globo). Além das imagens, a equipe do site faz um “minuto a minuto”, atualizado com informações em texto do que acontece no Staples Center. A equipe da GloboNews também disponibilizou uma conta no Twitter especificamente para o evento.

Embora o evento só deva começar por volta das 14:00 (horário de Brasília), a CBS News também já iniciou a cobertura ao vivo do funeral de Michael Jackson. O streaming é feito través de Flash Player.

A CNN.com decidiu fazer uma cobertura em conjunto com o Facebook. A página que contém o streaming foi dividida ao meio. Em uma das metades está o player da emissora (que utiliza tecnologia Flash, mas depende da instalação de um complemento chamado Octoshape), enquanto que na outra metade são exibidas mensagens de usuários da rede social que assistem à transmissão ao vivo.

Abaixo você encontra listagem de outras empresas de comunicação que cobrirão o funeral de Michael Jackson, com respectivos links para as páginas.