Início » Finanças » Pix vira isca para golpes de phishing que roubam dinheiro

Pix vira isca para golpes de phishing que roubam dinheiro

Relatos de golpes usando Pix começam a aparecer; criminosos usam cadastro de chaves e WhatsApp clonado para enganar vítimas

Ana Marques Por

O Pix, sistema de pagamentos que entrou em operação plena no mês de novembro, traz uma grande revolução à forma como realizamos transações bancárias no país. Operando 24 horas por dia, 7 dias por semana, o método caiu nas graças de muita gente por proporcionar maior facilidade e rapidez na hora de enviar dinheiro, mas também está na mira criminosos que aplicam golpes de phishing.

PIX / Foto de William Iven / Unsplash

Pix vira isca para golpes de phishing (Imagem: William Iven/Unsplash)

De acordo com uma reportagem do G1, uma das vítimas perdeu R$ 4,5 mil após o contato de uma pessoa que se fez passar por um funcionário do setor de segurança da Caixa Econômica Federal. O telefonema chegou enquanto a mulher fazia o cadastro de sua chave no Pix.

A dona de casa, de 44 anos, relatou que o golpista passou orientações sobre o que ela deveria fazer para desbloquear o aplicativo e concluir o cadastro das chaves, alegando que ele estaria com problemas para realizar as operações remotamente.

No entanto, o direcionamento resultaria numa transferência de todo o dinheiro da conta da vítima para uma conta virtual, utilizada pelo criminoso. A mulher só percebeu que se tratava de um golpe quando chegou uma notificação no app do banco confirmando a transação.

Pix em aplicativo da Caixa (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Pix em aplicativo da Caixa (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

WhatsApp clonado pode ser intermediário para golpes

Outros relatos de golpes que circularam na mídia nacional durante as últimas semanas indicam que os cibercriminosos também têm usado o velho esquema do WhatsApp clonado para aplicar phishing utilizando o Pix.

Uma jovem de 22 anos foi enganada por uma pessoa que clonou o mensageiro de sua tia. Ao se fazer passar pela familiar, o golpista conseguiu que a menina transferisse R$ 1,4 mil via Pix.

“Você não se atenta, por causa da velocidade que tem essa transferência”, comentou outra vítima de um caso semelhante ao programa Fala Brasil. “Perdi mais de R$ 6 mil em uma questão de 15 minutos”.

Diferentemente de TED e DOC, que são processos geralmente mais demorados, as operações com Pix levam cerca de 10 segundos para serem concluídas, o que acaba dificultando o trabalho da polícia para impedir transações suspeitas.

Como evitar golpes que usam o Pix como isca

O uso de recursos digitais para enganar vítimas e conseguir informações pessoais não é nenhuma novidade. O WhatsApp, mensageiro mais popular no país atualmente, é um dos grandes alvos desse tipo de ação.

Assim como o Pix, outros métodos de pagamento, como boletos bancários e cartão de crédito, também já foram utilizados por cibercriminosos para roubar dinheiro das vítimas.

As dicas para evitar esse tipo de golpe são as mesmas nesse caso: desconfie de mensagens que peçam dinheiro pelo WhatsApp ou por telefone, mesmo que sejam enviadas por números conhecidos, como os de amigos e familiares. Evite enviar informações sensíveis, como dados pessoais ou bancários, pelo mensageiro, evite clicar em links sem saber sua real procedência e ative a verificação em duas etapas.

Caso você ainda não tenha feito o cadastro das suas chaves no Pix, não há o que temer: basta seguir nossas dicas para realizar esse processo com segurança em bancos e aplicativos.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Eduardo Soares (@Eduardo_Soares)

Admira-me a inocência de muitas pessoas. Não ligam para o amigo/parente para verificar a autenticidade do pedido de dinheiro e já vão mandando ver. Esse tipo de golpe é antigo. Quanto a um funcionário de banco ligar pedindo dados ou orientando a fazer algo referente a configurações da conta, não me lembro de ter tanta facilidade em tal serviço mesmo ligando pro call center do banco.

Eric Viana (@Eric_Viana)

O pessoal esquece da função básica de um celular… O uso de voz para confirmar com o parente a necessidade do valor.

Quanto aos funcionários de banco, eu procuro meus agentes bancários quando preciso… quando me ligam se dizendo do banco a única coisa que recebem por padrão é um sonoro NÃO.

imhotep (@imhotep)

As pessoas caem pq são trouxas.
A culpa não é da tecnologia.

Antigamente ligavam para a casa das pessoas pedindo dinheiro. Dava mais trabalho, mas tb funcionava.

² (@centauro)

Tem gente que fica desesperada quando é alguém da família pedindo ajuda e já sai correndo pra ajudar.

Conheci mais de uma pessoa que é assim. Uma delas recebeu um telefonema no meio da noite falando que a filha tinha sido raptada e que teria que pagar o resgate. Ela ficou tão desesperada que esqueceu que a filha estava dormindo no quarto do lado. Talvez o fato dessa pessoa ter sido acordada pelo telefone tenha ajudado (acabou de acordar, o cérebro ainda não engatou e tal), mas tem gente que é assim.

Breno (@bbcbreno)

Infelizmente uma boa parte das pessoas se perdem nas telas dos sistemas, tão acostumadas a seguirem passo-a-passo de alguém do lado explicado. Inclusive, tem gente q nem consegue entrar no whatsapp se tirar o atalho da tela principal. Aí, tão ali no sistema seguindo as orientações de alguém e nem pensa no q tá fazendo, tá no automático. Quando ver… já foi!

É triste, mas é a realidade. Os golpistas sabem disso e miram essas pessoas.