Arquivo Gadgets

Kindle será vendido fora dos EUA; Brasil incluído

Rafael Silva
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Kindle no Brasil!

Kindle no Brasil!

A Amazon anunciou hoje que o leitor de e-books Kindle passará a ser vendido além do território americano. Ele estará disponível a partir do dia 19 de outubro para 100 países ao redor do globo, inclusive o Brasil. Aproveitando o anúncio, a Amazon abaixou o preço do gadget, que será vendido por US$ 259,00 (R$ 454,00) na versão dos EUA. A versão internacional terá acréscimo de US$ 20 no preço final, devido à inclusão de chips extras necessários para fazê-lo funcionar em outros países. O preço anterior era de US$ 299,00 (R$ 524,00).

O leitor fará download de livros através da rede 3G e EDGE/GPRS de operadoras que tenham acordo com a AT&T Wireless, cuja cobertura pode ser conferida no mapa disponibilizado pela Amazon. Apesar disso, nem todas as funções estarão disponíveis nos países que receberão o Kindle. O navegador experimental e a leitura de blogs, por exemplo, estarão desabilitados ns Kindles que forem vendidos para o Brasil.

A biblioteca de livros disponíveis aqui também será menor em relação à biblioteca americana, devido aos direitos autorais: serão 290 mil livros, contra 350 mil disponíveis nos EUA. Todos eles serão vendidos em inglês e o pagamento só poderá ser feito em dólares. A Amazon também alerta que o envio desse tipo de gadget acarretará em custos e taxas extras das quais a empresa se exime.

O Kindle está disponível para pré-venda neste link. O Kindle DX, irmão maior do Kindle, continuará a ser vendido apenas nos Estados Unidos. [Mashable]

[Atualização às 11:35]: O leitor digital também virá com 14 dias gratuitos do serviço de assinatura de jornais. Dentre os jornais disponíveis, está o brasileiro O Globo. Washington Post, Herald Tribune, The Times e The Independent também fazem parte da lista de publicações que o Kindle suporta.

Rafael Silva

Rafael Silva tem 27 anos, estudou Tecnologia de Redes de Computadores e mora em São Paulo. Tem uma queda pela Apple na área de dispositivos móveis, mas sempre usou Windows em todos os seus notebooks e desktops. Vez ou outra fala alguma coisa interessante no Twitter: @rafacst. [Envie um email]

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque