Prefeitura do Rio sofre ataque hacker e sistemas ficam fora do ar

Sites da Prefeitura e de secretarias, sistemas do Cras, Nota Carioca, Táxi Rio e Centro Administrativo São Sebastião estão indisponíveis

Giovanni Santa Rosa
Por

A Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro sofreu um ataque hacker na madrugada de segunda-feira (15). A Empresa Municipal de Informática e Planejamento (IplanRio) retirou do ar os serviços digitais, para preservar os dados. Na manhã desta terça-feira (16), o site da Prefeitura e das secretarias municipais não estão funcionando, bem como a emissão de notas fiscais, o Portal Carioca Digital e sistemas de atendimento ao público e internos.

Paisagem do Rio de Janeiro
Paisagem do Rio de Janeiro (Imagem: Gabriel Rissi / Unsplash)

A ação dos hackers foi notada por funcionários por volta de 2h de segunda-feira (15). Desde então, alguns serviços estão indisponíveis. Não há previsão de retorno.

“Implementamos uma série de ações para preservar os dados e retiramos do ar, de forma preventiva, todos os sistemas”, diz Claudio Fonseca, do Iplan Rio, ao G1. “Nossos técnicos estão trabalhando para que os serviços comecem a ser normalizados e pedimos a compreensão e paciência dos cariocas.”

Sistemas de atendimento do Rio estão indisponíveis

Segundo o G1, os sistemas dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) também foram retirados do ar. Em Guaratiba, a direção da unidade só conseguiu atender 70 pessoas, de maneira manual, e agendou alguns atendimentos para outras datas. As dificuldades técnicas atrasam a atualização de cadastros de programas sociais.

A Agência Brasil informa que o serviço Táxi Rio também foi afetado. Ele oferece transporte gratuito a pacientes que fazem hemodiálise. Sem o aplicativo, alguns usuários não puderam se deslocar até as clínicas.

Os sistemas do Centro Administrativo São Sebastião, na Cidade Nova, também estão indisponíveis. O órgão ficou sem condições de prestar atendimento ao público.

Nem todos os sistemas foram afetados, entretanto. No Centro de Operações, as câmeras de monitoramento seguem funcionando normalmente.

Com informações: Agência Brasil, G1.