Fabricante chinesa infectou 20 milhões de celulares com malware

Shenzhen Zhipu, uma subsidiária da marca Gionee, instalou cavalo de Troia em smartphones para exibir anúncios não solicitados

Ana Marques
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
Smartphone Gionee (Imagem: Divulgação/Gionee)
Smartphone Gionee (Imagem: Divulgação/Gionee)

Executivos da marca chinesa Gionee foram condenados por infectar mais de 20 milhões de celulares de fabricação própria com cavalo de Troia. De acordo com o veredito, uma subsidiária da empresa foi responsável por instalar um app que permitia obter lucro por meio de anúncios não solicitados nos smartphones dos usuários. A ação ocorreu entre dezembro de 2018 e outubro de 2019.

De acordo com o relato do tribunal chinês, a subsidiária da Gionee, Shenzhen Zhipu, teria implantado o malware de forma remota, por meio de uma atualização de software, utilizando o aplicativo “Story Lock Screen”.

De abril a outubro de 2019, a empresa teria conseguido atingir 21,75 milhões de celulares com os anúncios intrusos. E estimativa é de que a Shenzhen Zhipu, junto à empresa Beijing Baice Company, tenha faturado US$ 4,2 milhões.

Quatro executivos da Gionee (Xu Li, Zhu Ying, Jia Zhengqiang e Pan Qi) receberam pena de três anos a três anos e meio de prisão pelo crime de controlar ilegalmente o sistema dos aparelhos, e terão que pagar multa de aproximadamente US$ 30 mil cada.

De acordo com o Gizmochina, tal prática, por mais absurda que possa parecer, é comum em celulares chineses baratos – o site havia reportado algo semelhante em agosto deste ano, quando empresas como Infinix Mobile e Tecno foram indiciadas por instalarem malware com propósito semelhante.

Com informações: Gizmochina e GSMArena

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e cobre o universo de eletrônicos de consumo desde 2016. Já participou de eventos nacionais e internacionais da indústria de tecnologia a convite de empresas como Samsung, Motorola, LG e Xiaomi. Analisou celulares, tablets, fones de ouvido, notebooks e wearables, entre outros dispositivos. Ana entrou no Tecnoblog em 2020, como repórter, foi editora-assistente de Notícias e, em 2022, passou a integrar o time de estratégia do site, como Gerente de Conteúdo. Escreveu a coluna "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Trabalhou no TechTudo e no hub de conteúdo do Zoom/Buscapé.

Canal Exclusivo

Relacionados