Início » Celular » Estes são os novos Xperia Z5 (sim, a Sony realmente colocou uma tela 4K num smartphone)

Estes são os novos Xperia Z5 (sim, a Sony realmente colocou uma tela 4K num smartphone)

Xperia Z5, Xperia Z5 Compact e Xperia Z5 Premium: a nova geração de flagships da Sony

Por
4 anos atrás

xperia-z5-abre

Dando prosseguimento ao controverso ciclo semestral de lançamentos, a Sony apresentou nesta quarta-feira (2), durante sua conferência na IFA, o Xperia Z5. Ou melhor: os Xperia Z5. Serão três variantes, cada uma voltada para um público específico:

  • Xperia Z5, o sucessor do Xperia Z3+ (que se chama Xperia Z4 no Japão)
  • Xperia Z5 Compact, com tela de 4,6 polegadas, mas hardware potente (yay!)
  • Xperia Z5 Premium, com tela de 5,5 polegadas e resolução de 3840×2160 pixels (!)

Com um ritmo tão rápido de lançamentos, não deu nem tempo da Qualcomm produzir um processador novo: todos os smartphones possuem o Snapdragon 810, mesmo chip que acompanha o Xperia Z3+ (o review sai ainda hoje!). Mesmo assim, ainda há algumas mudanças importantes, especialmente na câmera e no design, agora com um leitor de impressões digitais na lateral.

A câmera traz a primeira grande mudança no sensor desde o Xperia Z1. O Exmor RS do Xperia Z5 continua com o tamanho generoso de 1/2,3 polegada, mas a resolução aumentou para 23 megapixels; a lente permanece com abertura f/2,0. O que isso muda na prática? A Sony promete fotos melhores em ambientes noturnos (mais definição, menos ruído) e foco estupidamente rápido: apenas 0,03 segundo, menos do que a piscada de um olho humano.

Melhorou mesmo? A Sony divulgou algumas fotos de exemplo do Xperia Z5 bastante animadoras, mas nenhuma tem os metadados originais, portanto, não dá para saber se elas receberam algum tipo de tratamento. Aprecie com moderação:

Yokohama

Hair in wind

Sea Jump

Beach Bar

Barcelona city

BMX

Outra mudança está no design: o botão liga/desliga circular saiu para dar lugar a um mais comprido. Isso porque, agora, esse botão também serve como um leitor de impressões digitais — e deverá ficar mais útil com a chegada do Android 6.0 Marshmallow, que possui suporte nativo ao componente. A bonita moldura de metal continua presente, bem como a traseira de vidro e proteção contra água e poeira (IP68).

xperia-z5-lateral

Estas são as especificações:

z5-premium-dourado

  • RAM:
    • 2 GB (Xperia Z5 Compact)
    • 3 GB (Xperia Z5 e Xperia Z5 Premium)
  • Telas:
    • 4,6″, 1280×720 pixels (Xperia Z5 Compact)
    • 5,2″, 1920×1080 pixels (Xperia Z5)
    • 5,5″, 3840×2160 pixels (Xperia Z5 Premium)
  • Baterias:
    • 2.700 mAh (Xperia Z5 Compact)
    • 2.900 mAh (Xperia Z5)
    • 3.430 mAh (Xperia Z5 Premium)

Todos possuem painéis IPS LCD, câmera frontal de 5 megapixels, armazenamento de até 32 GB e entrada para microSD de até 200 GB, rodam Android 5.1 Lollipop de fábrica e suportam carregamento rápido (Quick Charge 2.0). No caso do Xperia Z5 e Xperia Z5 Premium, haverá versões com suporte a dois SIM cards. Os novos smartphones serão lançados no mundo inteiro a partir de outubro; o Xperia Z5 Premium chega logo depois, em novembro.

Ok, e essa tela 4K do Xperia Z5 Premium? Eu sou um grande crítico de displays “pequenos” com resoluções muito altas. É uma guerra de números que nem sempre resulta em maior qualidade: a tela Full HD ruim do Xperia Z1 é um grande exemplo. E há alguns contras: com o quádruplo de pixels para processar, o desempenho gráfico é pior, a dissipação de calor aumenta e obviamente o consumo de bateria é mais elevado.

xperia-z5

A Sony continua prometendo dois dias de autonomia no Xperia Z5 Premium, mas o Xperia Z3+, que tinha o mesmo apelo de marketing, não mostrou tanta força assim — ele traz o mesmo processador, bateria um pouco menor e uma tela apenas 1080p. Além disso, como não há conteúdo em 4K fartamente disponível (a ironia: nem os vídeos de divulgação da Sony, no começo do texto, são 4K), o que veremos serão vídeos e jogos em 1080p esticados por software.

No final das contas, um avanço dessa magnitude na resolução das telas pode até ser importante para puxar a indústria — os engenheiros da Qualcomm, MediaTek e Intel certamente estão quebrando a cabeça para desenvolver GPUs mais poderosas, que deem conta dos pixels cada vez em maior quantidade. Mas qual a vantagem para o consumidor?