Início » Negócios Web » Spotify chega a 140 milhões de usuários ativos

Spotify chega a 140 milhões de usuários ativos

Por
26 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Mesmo com o surgimento de concorrentes, o Spotify não parou de crescer: o serviço de música anunciou nesta quinta-feira (15) que atingiu a marca de 140 milhões de usuários ativos mensais. É um crescimento de 40% em relação a junho de 2016, quando a plataforma de streaming tinha 100 milhões de usuários.

A principal ameaça ao Spotify é o Apple Music, que foi lançado há apenas dois anos, mas já alcançou mais de 27 milhões de usuários pagantes. O Spotify não liberou números atualizados de assinantes, mas eles representam menos da metade da base: em março, o serviço independente tinha 50 milhões de usuários do Premium.

Spotify

O fato do Spotify oferecer um plano gratuito é um dos motivos pelos quais o serviço ainda não é lucrativo, mesmo com quase nove anos de existência: quanto mais usuários, mais royalties o Spotify precisa pagar, e a conta não fecha apenas com anúncios. A empresa fechou 2016 com prejuízo de 349 milhões de euros (aproximadamente R$ 1,27 bilhão).

Ainda assim, parece que o Spotify vai manter seu modelo freemium por um bom tempo: “É um momento emocionante para a plataforma global de anúncios no Spotify. Lançamos nossa plataforma gratuita móvel, suportada por anúncios, há três anos, e o negócio ainda cresce rapidamente com mais de 50% de crescimento ano a ano em 2016”, diz a empresa.

Mais sobre:
  • Islan Oliveira

    Resta saber até quando o Spotify vai manter o plano free, já que os investidores não vão colocar dinheiro no serviço pra sempre.

    • David

      Pra mim esses investidores já sabem que não terão lucro com as receitas do serviço, só estão visando o aumento da base de usuários para passar pra frente (vender) o Spotify para alguma empresa do vale.

      • Isaias Dantas Barboza

        Que venda pra microsoft, que tem um serviço de música paupérrimo. O Groove.

  • Engraçado que cada um dá um valor diferente para as mesmas coisas.

    Mais cedo teve o post do aumento da Netflix e eu pensei: já achava caro antes, agora que não assino mesmo. Já o Spotify eu assino com gosto.

    Não tenho saco para séries, mas passo o dia todo ouvindo música. Assim acredito que a percepção do que é caro/barato muda muito mais pelo perfil de uso do que pela renda.

    • Legal seria se os dois serviços se unissem.

      Com um plano premium família você teria música + filmes/séries por R$ 49.90 e ainda poderia compartilhar a conta com até 5 usuários. Seria um sonho…

  • Dayman Novaes

    Aí galera, o negócio cresce 50% ao ano justamente às custas de não dar lucro, tem problema dar prejuízo não, se tiver crescendo, tá bão.

    • John Maverick

      É igual ao incrível Nubank e seus planos de 10GB mensais + 600min. Pode ter um prejuízo de 200 milhões, mas tá crescendo e é cool então não tem problema

      • Leandro Amaral

        Ah mas o Nubank Lab são 20GB + 2000 min.

        • Guilherme Barossi

          Mas se for 20GB com velocidade baixa, prefiro ir pro Digio

  • Rafael

    O YouTube até hoje não dá lucro e ninguém seria louco de dizer que é um mal negocio.

    Há outros: Airbnb, Facebook, Twitter… que registraram prejuízos por anos para depois gerar lucro. Ou mesmo o Uber, que apesar de toda jumentice tem prejuízo mas ainda é claramente um negocio promissor.

    A gente estranha por conta dos valores altos, mas em todos os casos o importante sempre é: aumente sua visibilidade, se popularize e colha os frutos – GRANA – depois.

  • Wagner Vinicius Macêdo

    Uma pena que saiu do Kotas.com.br o Spotify, pago os 16,90 e quando vou ver no Kotas já não é possível mais compartilhar a conta família. Se alguém souber outra alternativa.
    Instalei o Deezer, mas não curti muito.