Arquivo Antivírus e Segurança

Grupo hacker publica 1 milhão de IDs de dispositivos iOS rastreados pelo FBI

Rafael Silva
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

O grupo de hackers conhecido como AntiSec publicou hoje um arquivo contendo 1 milhão de identificadores únicos (os chamados UDID) de dispositivos iOS. Segundo o grupo, eles conseguiram tais dados em março desse ano, ao conseguir acesso a um laptop Dell Vostro que supostamente pertencia ao FBI. Um dos arquivos obtidos continha mais de 12 milhões desses UDIDs, mas o grupo decidiu liberar ‘apenas’ 1 milhão deles.

Parte do arquivo liberado pelos hackers

No arquivo que foi obtido com o ataque ao laptop, o grupo afirma que encontrou, atrelado aos UDIDs, nomes, nomes dos dispositivos, números de celular, endereços e muitos detalhes pessoais – nos dados liberados por eles, constam apenas os UDIDs, nomes e nomes dos dispositivos. A especulação do grupo é que esses dados são parte de alguma investigação da NCFTA, uma organização americana que investiga crimes online.

O pessoal do The Next Web criou uma ferramenta que permite que qualquer usuário procure pelo seu UDID no arquivo vazado. O UDID pode ser encontrado pelo iTunes, clicando no número serial do dispositivo quando está conectado. Mas como os dados supostamente foram angariados por agentes americanos, é bem provável que nenhum brasileiro que esteja morando no Brasil e tenha comprado seu dispositivo iOS por aqui esteja nessa lista.

Segundo o grupo, eles não vão fornecer entrevistas ou dar nenhuma declaração pública enquanto um pedido bem específico não for atendido. Eles querem que uma foto do editor Adrien Chen, da rede de blogs Gawker, seja publicada na página inicial da Gawker.com e fique no ar durante um dia inteiro. O detalhe é que Adrien precisa estar usando trajes de balé e um sapato na cabeça, clara referência ao fórum 4chan.

A Gawker não disse se vai ou não atender a demanda, mas é seguro assumir que não teremos mais declarações do grupo no futuro.

Com informações: Hacker News.

Rafael Silva

Rafael Silva tem 27 anos, estudou Tecnologia de Redes de Computadores e mora em São Paulo. Tem uma queda pela Apple na área de dispositivos móveis, mas sempre usou Windows em todos os seus notebooks e desktops. Vez ou outra fala alguma coisa interessante no Twitter: @rafacst. [Envie um email]

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque