Kindle ainda domina livros digitais, diz autor

João Brunelli Moreno
Por

Durante a apresentação do iPad o guru Steve Jobs afirmou que a expectativa da empresa da maçã era de que com a ajuda de seu novo gadget o serviço iBookStore abocanhasse 22% do mercado de venda de livros digitais logo em seus primeiros meses de operação. Mas quatro meses depois da chegada do hypado tablet da Apple às lojas, o Amazon Kindle continua dominante no mercado de e-books.

A revelação veio do autor de ficção J. A. Konrath, que no último dia X postou em seu blog: “As editoras devem continuar a enriquecer e aprimorar a experiência dos e-books como uma maneira de substituir as edições impressas. Mas a maior vendedora de livros digitais, a Amazon, não está preparada para vídeos. O Kindle ainda não é capaz nem de reproduzir cores. Isso nos deixa a Apple, mas de acordo com meus números ele ainda são uma pequena fatia do mercado de e-books. Eu vendo 200 livros por dia no Kindle. No iPad, são 100 ao mês”.

Na ponta do lápis é possível concluir que a cada livro que Konrath emplaca em um iPad outros 60 vão para os Kindle, o que neste caso deixa a Apple com desconfortáveis 0,016% do mercado de e-books. Ainda que o Kindle também possa se apresentar como uma app que pode ser instalada em diversas outras plataformas, incluindo o iPad, este número certamente deve estar fazendo alguém perder o sono lá para os lados de Cupertino.

Com informações The Next Web, J. A. Konrath.

Relacionados

Relacionados