Epic, de Fortnite, diz que Google abusa de poder de monopólio

Após banimento de Fortnite da Play Store, Epic Games volta a acusar Google de monopólio

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 2 anos
Fortnite / Epic Games (Foto: Divulgação)

Não é só a Apple que está enfrentando a Epic Games nos tribunais. O Google também. Uma audiência para tratar do conflito foi marcada para a próxima quinta-feira (8), mas a companhia responsável pelo jogo Fortnite já partiu para o ataque: ela acusou novamente o Google de abusar de sua posição de monopólio no mercado de sistemas operacionais móveis.

Fortnite foi removido das duas maiores lojas de aplicativos do mundo: App Store e Google Play Store. Em ambos os casos, o problema tem relação com uma taxa de 30% que Apple e Google cobram sobre compras realizadas dentro de apps distribuídos pelos mencionados serviços.

Para a Epic Games, essa porcentagem é muito alta, opinião que é compartilhada com várias outras companhias. Não por acaso, a desenvolvedora se uniu a empresas como Spotify, Deezer e Tile em uma coalizão que questiona a taxa de 30% da App Store.

No que diz respeito ao Google, a Epic Games abriu um processo contra a companhia em agosto na tentativa de reverter o banimento de Fortnite na Play Store. Por sua vez, o Google vem tentando, desde o mês passado, fazer o caso ser arquivado.

Nesta semana, ambas as companhias tiveram que protocolar uma declaração para que o assunto possa ser tratado judicialmente na próxima quinta-feira. Em sua argumentação, a Epic Games reafirmou que o Google tira proveito do seu monopólio no mercado de sistemas operacionais móveis para manter o domínio da distribuição de aplicativos para Android.

Fortnite fora da Google Play Store

Em complemento, a desenvolvedora declarou que o Google adota uma série de medidas para desencorajar downloads de aplicativos fora da Play Store e que Fortnite foi banido por concorrer com o sistema de faturamento da loja.

Já o Google rebate dizendo que não promoveu nenhuma retaliação à Epic Games e qualquer consequência em função do banimento de Fortnite é de responsabilidade da própria desenvolvedora.

Coincidência ou não, nesta semana, o Google endureceu as regras sobre compras feitas em aplicativos distribuídos via Play Store. Aos desenvolvedores contrários à taxa de 30%, a empresa explica que eles têm a opção de recorrer a outras lojas de aplicativos disponíveis para Android.

Com informações: Android Central.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados