Início / Notícias / Brasil /

Sistemas do Ministério da Saúde começam a voltar 11 dias após ataque hacker

Sistema e-SUS Notifica, que registra mortes e casos de COVID-19, foi restabelecido nesta terça-feira (21); ConecteSUS continua fora do ar

Por

O Ministério da Saúde comunicou nesta terça-feira (21) que alguns de seus sistemas que estavam fora do ar há 11 dias voltaram a funcionar. As plataformas da pasta foram alvo de um ataque hacker no dia 10 de dezembro. Entre os sistemas restabelecidos está o e-SUS Notifica, que registra informações sobre óbitos e casos de COVID-19. Entretanto, o ConecteSUS permanece fora do ar.

Ministério da Saúde (imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Ministério da Saúde (imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Em nota à imprensa, o Ministério da Saúde diz que “atua com agilidade para o restabelecimento de todas as plataformas impactadas o mais breve possível”. Além do e-SUS Notifica, voltaram a funcionar o Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe) e o Sistema de Regulação (Sisreg).

Na segunda-feira (20), o ministro Marcelo Queiroga afirmou que a previsão era de que o ConecteSUS voltasse à normalidade antes do Natal, provavelmente na quarta-feira (22). “A impressão que me foi passada pelos técnicos é de que até quarta-feira estaria solucionado”, disse Queiroga a jornalistas.

Contudo, essa não foi a primeira estimativa — inicialmente, a previsão era de retorno no dia 14. Devido a complicações técnicas e tentativas de outros ataques hacker no final de semana após o dia 10 de dezembro, o prazo para o restabelecimento dos sistemas da Saúde foi adiado.

Conecte SUS (Imagem: Gabrielle Lancellotti/Tecnoblog)
ConecteSUS (Imagem: Gabrielle Lancellotti/Tecnoblog)

O ConecteSUS é a plataforma do Ministério da Saúde que permite emitir o Certificado Nacional de Vacinação COVID-19, documento de alta importância atualmente em decorrência da pandemia, exigido para ingresso em diversos estabelecimentos e para viagens.

Queda dos sistemas foi explorada por golpistas

Como se o transtorno com a impossibilidade de acesso aos sistemas da pasta não fossem o suficiente, o brasileiro teve que lidar com mais um problema: golpistas. O Ministério da Saúde alertou no final da última semana que pessoas mal intencionadas estavam usando o certificado de vacinação como isca para enganar pessoas e aplicar golpes para roubar dados.

Os criminosos prometiam enviar o comprovante via e-mail — algo que, como explica o Ministério da Saúde, não é um procedimento realizado oficialmente pela pasta.

Se você precisa do certificado de vacinação e não tem o impresso, uma alternativa é recorrer às secretarias municipais e estaduais de saúde.

Com informações: g1 e Correio Braziliense