Após negar novo ataque hacker, governo recua e chama Ministério da Defesa

Ministério diz que sistemas estavam em manutenção preventiva, mas Queiroga confirma ataque; reestabelecimento deve demorar mais que o previsto

Giovanni Santa Rosa
Por
Conecte SUS (Imagem: Gabrielle Lancellotti/Tecnoblog)

O Ministério da Saúde vem sofrendo ataques hacker desde sexta-feira (10). Primeiro, as informações sobre vacinas sumiram do ConecteSUS. Depois, ao longo do fim de semana, houve tentativas de invasão. A pasta inicialmente disse que estava apenas realizando uma manutenção em seus sistemas internos, mas, à noite, o ministro Marcelo Queiroga admitiu o episódio. Além disso, o Ministério da Defesa foi convocado a ajudar nas investigações.

Novos ataques hacker no fim de semana

Houve pelo menos dois relatos de ataques ao longo do fim de semana. O UOL fala em um na madrugada de domingo (12), e o Congresso em Foco noticiou uma ação na madrugada de segunda (13). Este segundo, aliás, teria levado o Ministério da Saúde a desligar os sistemas de internet e telefone, obrigando alguns funcionários a trabalharem de casa.

Inicialmente, a pasta negou o ataque. Segundo nota oficial, tratava-se apenas de uma manutenção interna feita pelo Datasus. À noite, porém, o ministro Marcelo Queiroga admitiu a ação.

“São duas coisas diferentes. Aquele primeiro ataque não foi um ataque ao Ministério da Saúde, aquilo foi a nível da Embratel, né? E felizmente, os dados não foram comprometidos. Em relação a esse [segundo ataque], foi algo de menor monta e estamos trabalhando para recuperar isso o mais rápido possível”, disse o titular da pasta, em fala reproduzida pelo G1.

Ministério da Defesa entra nas investigações

O novo ataque levou o Ministério da Defesa a entrar em campo para ajudar nas investigações. Experts em cibersegurança da pasta vêm tentando identificar a origem e aprimorar a segurança, de acordo com informações do Valor. Até então, as medidas vinham sendo tomadas por especialistas do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI).

Ministério da Defesa
Ministério da Defesa (Imagem: Agência Senado/Geraldo Magela)

Segundo nota divulgada pelo órgão, os “provedores dos serviços em nuvem estão cooperando com a administração pública federal no tratamento dos incidentes”. O documento também diz que as equipes estão sendo orientadas para trabalhar de forma que as evidências do ataque sejam preservadas para ajudar nas investigações.

O ministro do GSI, Augusto Heleno, disse não saber de onde partiu o ataque nem ter maiores informações. “Esse tipo de ataque é uma coisa para a qual ninguém está preparado. Nem nós nem nenhum país do mundo. Isso vai ser uma tônica das próximas décadas.”

ConecteSUS não volta nesta terça

A primeira ação contra o Ministério da Saúde foi na sexta-feira (10). As informações sobre vacinas do aplicativo ConecteSUS ficaram indisponíveis. O problema se estendeu à emissão dos Comprovantes de Vacinação contra COVID-19, documento necessário para várias atividades, incluindo viagens internacionais.

Esse ataque teve como alvo um banco de dados da pasta que estava armazenado em um servidor da Amazon, por meio de um contrato com a Embratel. Queiroga havia dito que a estimativa de reestabelecer os serviços era para esta terça-feira (14), mas isso não vai acontecer justamente pelos novos ataques.

“Eu falei que [seria resolvido] até amanhã [terça-feira, 14], né? Aí, houve esse outro ataque, infelizmente somos vítimas dessas figuras que têm, de maneira criminosa, invadido sistemas. Tentado invadir, né, eles não conseguem invadir, mas tumultuam, atrapalham”, disse o ministro, de acordo com o G1.

Com informações: G1, Valor, Metrópoles

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados