Nintendo obtém nova vitória na Justiça para bloquear site de ROMs

Seis provedores do Reino Unido são obrigados por lei a instaurar bloqueio de acesso a sites que promovem e propagam ROMs de Nintendo Switch e lucram com isso

Felipe Vinha
Por

Seis provedores de Internet do Reino Unido serão obrigados pela justiça a bloquear domínios envolvidos com portais de ROMs de Nintendo Switch, após mais uma vitória da Nintendo contra sites que promovem a pirataria de seus produtos. Portais com as marcas NSW2U e NSWROM são os principais alvos, desta vez.

Sites piratas são alvo da Nintendo (Imagem: Reprodução)

Com uma decisão que já está valendo desde 2 de dezembro deste ano, usando uma lei de 1988 como base, a Nintendo requer o bloqueio destes domínios dos seguintes provedores: BT, EE, Plusnet, Sky, TalkTalk e Virgin Media. Ao que consta, são alguns dos principais que operam no Reino Unido. Decisão similar vale para Espanha, Portugal e Itália.

Desta forma, quem for usuário de algum destes para acessar a Internet não poderá abrir os sites envolvidos ou baixar seus conteúdos. No total são cinco domínios acusados, entre eles nsw2u.xyz, nsw2u.org, nsw2u.com, nsw2u.net e nswrom.com, que mantiveram vários jogos da Nintendo e de outras empresas, com foco no Switch.

Supostamente, apenas hospedar as ROMs poderia não configurar um crime direto, mas a Nintendo alega ainda que estes sites lucram com o negócio, utilizando anúncios em seus sites, gerados a partir de cada download. Isto é: os cliques nos jogos hospedados por lá rendem grana direta aos donos dos sites.

Em sua ação judicial a empresa alega também que fez inúmeros esforços para tentar contato com os administradores das páginas, mas que não conseguiu localizar detalhes de comunicação. O conteúdo segue no ar e sem previsão de remoção, porém, por mais que a sentença do júri diga que a operação seja totalmente ilegal, no sentido do lucro com base em ROMs para download.

Nintendo segue lutando contra a pirataria

Não é a primeira, segunda ou terceira vez que a Nintendo vira notícia por sua eterna batalha contra a pirataria. A empresa parece ser a única entre as “três grandes”, como Sony e Microsoft, a ter grandes dores de cabeça jurídicas envolvendo seus jogos nos últimos anos.

Há apenas alguns dias noticiamos que o hacker canadense Gary Bowser, membro do grupo Team-Xecuter, deveria pagar US$ 10 milhões (R$ 56,3 milhões) à Nintendo por vender softwares usados para desbloquear o Switch, após processo judicial movido pela empresa contra Bowser e contra seu grupo, em separado.

A cruzada da Nintendo contra pirataria, porém, de vez em quando faz algumas vítimas pouco esperadas pelo caminho, recriação de fãs de jogos clássicos e outros projetos sem fins lucrativos, mas que usam ou se inspiram em seus personagens.

Com informações: TorrentFreak.