CoD: Warzone vai usar novo antitrapaça para bloquear hackers

Novo anti-cheat será baseado em um driver a nível de kernel exclusivo de Call of Duty capaz de analisar programas instalados no PC

Murilo Tunholi
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
Call of Duty: Warzone terá modo Clash com confrontos entre esquadrões de 50 jogadores (Imagem: Divulgação/Activision)

Os jogos da franquia Call of Duty lançados a partir de 2021 — ou seja, Vanguard e Warzone — vão receber um novo sistema antitrapaça chamado Ricochet Anti-Cheat. Com a promessa de ser mais seguro e transparente que o escudo usado atualmente, o Ricochet Anti-Cheat vai usar um driver a nível de kernel e será implementado nas versões para PC dos jogos ainda este ano.

De acordo com a Activision, o novo sistema antitrapaça irá começar a funcionar em CoD: Warzone na atualização Pacific, e em CoD: Vanguard no futuro, mas ainda sem previsão exata. A ideia é implementar primeiro no modo Battle Royale, que é o mais necessitado de uma nova proteção, para só depois colocar o recurso em outros modos de jogo.

Com esse driver a nível de kernel, a Activision pode analisar e registrar os programas instalados no PC dos usuários. Na teoria, isso deve impedir que jogadores simplesmente criem contas novas sempre que forem banidos, já que eles vão permanecer bloqueados do game enquanto estiverem com as trapaças instaladas no computador.

Além de diminuir a quantidade de hackers e cheaters nas partidas de PC, o Ricochet Anti-Cheat será capaz de inibir a ação dos trapaceiros em partidas entre plataformas por cross-play. É importante explicar que, por enquanto, esses são são apenas possíveis efeitos da nova proteção, pois ela nunca foi usada em Call of Duty antes.

O Ricochet Anti-Cheat também vai receber a ajuda de aprendizado de máquina para identificar comportamentos suspeitos nas partidas e tomar decisões mais assertivas na hora de punir possíveis trapaceiros.

Ricochet Anti-Cheat é bom, mas privacidade também

Sobre a questão da privacidade, a empresa explicou que o Ricochet Anti-Cheat só vai funcionar quando CoD: Warzone ou CoD: Vanguard estiverem abertos. Isso significa que a proteção não ficará sempre ligada. A Activision ainda prometeu que o driver só vai monitorar softwares e aplicativos que tiverem interação direta com os jogos, e nada mais.

É importante reforçar esse ponto de segurança e privacidade dos usuários ao usar um driver de nível kernel. Esse tipo de software tem certas permissões que outros programas não têm para acessar informações sensíveis no seu PC. Por exemplo, eles conseguem analisar até mesmo o driver da placa de vídeo.

Os drivers de nível kernel podem garantir mais segurança, sim, mas eles também são capazes de fazer estragos quando usados por pessoas erradas, como hackers. Para que isso não aconteça, a Activision precisa guardar os códigos do Ricochet Anti-Cheat a sete chaves, senão qualquer vazamento de dados pode virar uma bola de neve.

Com informações: Inverse, GamesRadar.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Murilo Tunholi

Murilo Tunholi

Ex-autor

Jornalista, atua como repórter de videogames e tecnologia desde 2018. Tem experiência em analisar jogos e hardware, assim como em cobrir eventos e torneios de esports. Passou pela Editora Globo (TechTudo), Mosaico (Buscapé/Zoom) e no Tecnoblog, foi autor entre 2021 e 2022. É apaixonado por gastronomia, informática, música e Pokémon. Já cursou Química, mas pendurou o jaleco para realizar o sonho de trabalhar com games.

Canal Exclusivo

Relacionados