Globoplay promete segurar preços até 2023 após alta nos planos da Netflix

Serviço de streaming da Globo congela preços para quem assinar Globoplay até o final do ano; condição foi anunciada após aumento de preços da Netflix

Lucas Braga
Por
• Atualizado há 2 anos e 6 meses
Explorar catálogo (Imagem: Reprodução/Globoplay)
Globoplay segura preço da mensalidade para quem assinar até o fim do ano (Imagem: Reprodução/Globoplay)

A Netflix aumentou os preços da mensalidade do serviço de streaming em até 22%, e isso não foi bem visto pelos usuários da plataforma. O Globoplay aproveitou o gancho e anunciou que não irá subir os valores da assinatura até 2023.

O anúncio foi feito pela empresa tanto no Twitter como na TV aberta, em uma peça em que o ex-BBB Gil do Vigor avisa para o comediante Paulo Vieira ter “N motivos” para cancelar todos os serviços de streaming e ficar apenas com o Globoplay, numa clara afronta à Netflix.

O congelamento no preço tem uma limitação importante: a medida só será válida para quem assinar o Globoplay até o final de 2021, o que dá abertura para a Globo reajustar os preços para novos assinantes no próximo ano.

Outro detalhe também deve ser considerado: o Globoplay tem uma promoção no plano anual que dá 25% de desconto na assinatura, mas ela termina às 9h do próximo sábado, 24 de julho. Os interessados podem contratar o pacote por R$ 178,80 parcelado em até 12 vezes, o que equivale a R$ 14,90 mensais.

Quem assinar o Globoplay também terá um ano gratuito de Deezer Premium e três meses do Apple TV+. Veja os planos atuais:

Globoplay tradicional

O pacote tradicional dá acesso ao acervo do Globoplay e transmissão ao vivo da Globo (apenas em cidades selecionadas) e Canal Futura:

Plano mensal Plano anual
Globoplay Padrão R$ 22,90 R$ 238,80
(12x de R$ 19,90)
Globoplay com Disney+ R$ 43,90 R$ 454,80
(12x de R$ 37,90)
Globoplay com Premiere R$ 84,90 (não possui)
Globoplay com Telecine R$ 49,90 (não possui)

Globoplay com canais ao vivo

Os pacotes com canais ao vivo incluem todo o conteúdo do Globoplay tradicional, além de títulos sob demanda e transmissão linear (ao vivo) das emissoras Globonews, Multishow, SporTV (1, 2 e 3), GNT, Viva, Gloob, Gloobinho, Megapix, Universal, Studio Universal, Syfy, Canal Brasil, Off, BIS e Mais na Tela.

Plano mensal Plano anual
Globoplay + canais ao vivo R$ 49,90 R$ 514,80
(12x de R$ 42,90)
Globoplay + canais ao vivo com Premiere R$ 99,90 R$ 1.138,80
(12x de R$ 94,90)
Globoplay + canais ao vivo com Disney+ R$ 69,90 R$ 718,80
(12x de R$ 59,90)

Netflix subiu o preço e ficou bem caro

A segurada nos preços é uma boa resposta da Globo para a Netflix: o serviço de streaming mais popular do Brasil reajustou a mensalidade em 21,8%. A empresa justificou o aumento pela expansão do catálogo de filmes e séries.

Veja como eram os planos da Netflix e como ficou:

Plano da Netflix Preço mensal novo Preço mensal antigo Aumento
Básico (1 tela, sem HD) R$ 25,90 R$ 21,90 18,3%
Padrão (2 telas, até Full HD) R$ 39,90 R$ 32,90 21,3%
Premium (4 telas, até 4K HDR) R$ 55,90 R$ 45,90 21,8%

HBO Max incentiva compartilhamento de conta com amigos

Outra indireta foi jogada contra a Netflix: a HBO Max também se posicionou publicamente a favor do compartilhamento de contas. Em resposta à educadora financeira Nath Finanças, o serviço de streaming afirmou não proibir que amigos, familiares e conhecidos utilizem o mesmo login:

O compartilhamento de logins é realidade para muitas pessoas, mas diversos serviços de streaming não permitem essa prática nos seus contratos. Veja um trecho dos termos de uso da Netflix:

“O serviço Netflix e todo o conteúdo visualizado por intermédio do serviço Netflix destinam-se exclusivamente para uso pessoal e não comercial, não podendo ser compartilhados com pessoas de fora da sua família. Durante sua assinatura Netflix, a Netflix concede a você um direito limitado, não exclusivo e intransferível para acessar o serviço Netflix e assistir ao conteúdo da Netflix.”

Essa limitação também existe no Spotify Premium familiar:

“Para ser elegível à Assinatura do Plano Premium Familiar, o titular da conta e os titulares das contas secundárias devem ser membros da família e residir no mesmo endereço.”

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Lucas Braga

Lucas Braga

Repórter especializado em telecom

Lucas Braga é analista de sistemas que flerta seriamente com o jornalismo de tecnologia. Com mais de 10 anos de experiência na cobertura de telecomunicações, lida com assuntos que envolvem as principais operadoras do Brasil e entidades regulatórias. Seu gosto por viagens o tornou especialista em acumular milhas aéreas.

Canal Exclusivo

Relacionados