Há semanas que as coisas não vinham bem para a MtGox, tida como a maior casa de câmbio de Bitcoins do mundo. Mesmo assim, pouca gente esperava por um desfecho tão abrupto: nesta segunda-feira, o serviço simplesmente saiu do ar, levando tudo o que seus clientes haviam investido.

No dia 7 deste mês, a MtGox havia suspendido saques sob a justificativa de que era necessário corrigir uma falha que, entre outras possibilidades, permitia a alguém com conhecimentos avançados alterar transferências concluídas para que estas constassem como em aberto, fazendo com que valores de uma mesma transação fossem enviados várias vezes.

A suspensão dos saques era para ser temporária, mas se seguiu por dias a fio, tanto que, na semana passada, a MtGox chegou a prometer que tudo voltaria ao normal em breve.

No último domingo, entretanto, houve mais um acontecimento inesperado: Mark Karpeles, CEO da MtGox, comunicou sua saída do conselho administrativo da Bitcoin Foundation, mas sem dar detalhes. Para os mais otimistas, a notícia era um sinal positivo: saindo do conselho, talvez Karpeles pudesse se concentrar em resolver os problemas da MtGox.

Mark Karpeles, chefão da MtGox
Mark Karpeles, chefão da MtGox

Só que a história rumou para o lado trágico: o site da MtGox fechou e o seu perfil no Twitter teve todas as mensagens apagadas. Por volta do meio-dia de hoje (no horário de Brasília), apenas um curto aviso foi publicado na home do site, que até então exibia uma página em branco:

Caros clientes MtGox,

Em face das notícias recentes e das potenciais repercussões sobre as operações da MtGox e do mercado [de BitCoins], tomamos a decisão de fechar todas as transações no momento, afim de proteger o serviço e nossos usuários. Estaremos monitorando a situação de perto e reagindo de acordo.

Os clientes da MtGox, que já estavam preocupados desde que os saques foram bloqueados, ficaram de mãos vazias. Uma vez que a empresa tem (ou tinha) sede em Tóquio, a Agência de Serviços Financeiros do Japão chegou a ser procurada, mas a instituição apenas informou que nada pode fazer.

É difícil saber se ainda dá para salvar a MtGox. Segundo um documento em circulação na internet e que teria sido apontado como autêntico por fontes próximas à empresa, cerca de 745 mil Bitcoins saíram de circulação em virtude da tal falha, um prejuízo gigantesco e, aparentemente, irrecuperável.

Para evitar que o sumiço da empresa afete ainda mais o ecossistema do Bitcoin, os CEOs dos serviços de câmbio Bitstamp, Blockchain, BTC China, Circle, Kraken e Coinbase emitiram um comunicado em conjunto onde explicam que o mercado continua sendo confiável e o que fechamento da MtGox se deve exclusivamente à sua má gestão.

Mas o clima de crise é eminente. Além do que acaba de acontecer, há a suspeita de que o serviço de venda de drogas Silk Road 2 tenha sido vítima de um golpe de seus criadores ou da mesma falha que supostamente levou a MtGox à ruína. Quase US$ 3 milhões em Bitcoins dos clientes do site foram roubados neste ataque.

A soma destes e de outros fatores não poderia ter outra consequência: a cotação do Bitcoin está em queda livre, assim como a confiança na moeda.

Com informações: Business Insider

 

Receba mais sobre MtGox na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados