doom

Artigos de doom

10 jogos de tiro offline para jogar no computador, no celular ou no tablet

15/04 às 16h33 por

No universo atual de jogos cooperativos, multiplayers e a moda do Battle Royale, às vezes, você só quer jogar um shooter em modo solo, sem precisar interagir com ninguém ou mesmo de internet. Ainda existem títulos com essa pegada, tanto para computador quanto celular e tablet e você confere uma lista com 10 jogos de tiro offline, a seguir. 10 jogos que ocupam pouco espaço no PC [até 20 GB] 6 jogos de ti

Doomba: Roomba cria fases de Doom com o mapa da sua casa

27/12/2018 às 15h20 por

Rich Whitehouse é um desenvolvedor com bastante tempo de vida criando jogos, que resolveu utilizar o mapeamento da casa feito por um Roomba para criar uma fase para o primeiro Doom. O recurso, chamado de Doomba, tira proveito da câmera que registra com detalhes a planta do local onde faz a limpeza do chão. Doom ganha 18 novas fases para comemorar 25 anos

Doom ganha 18 novas fases para comemorar 25 anos

12/12/2018 às 16h58 por

Lançado em 1993, Doom é um dos clássicos mais conhecidos do mundo dos games. Para comemorar os 25 anos de vida do título, John Romero, um dos criadores do jogo, preparou uma expansão gratuita e chamada de Sigill para exatamente o primeiro capítulo da história da franquia. Modificaram um piano para jogar Doom utilizando suas teclas https://www.youtube.com/watch?v=eF7dqyZ1S6E Sigil será um capítulo extra e que acontece depois do último capítulo do The Ultimate Doom, c

Veja como é o Windows 95 rodando no Samsung Gear

06/10/2014 às 13h00 por

Um garoto de 16 anos chamdo Corbin Davenport realizou o impensável - por ninguém ter pensado nisso, mesmo: conseguiu rodar Windows 95 num smartwatch, mais precisamente um Samsung Gear. Utilizando o aDosBox, que emula um processador x86 no gadget (que, na verdade, conta com um Snapdragon 400), ele conseguiu instalar o sistema operacional e até dá para mexer um pouco: é possível mexer o cursor e matar a saudade do Menu Iniciar, por exemplo. Mas falta RAM para abrir qualquer programa, ou seja, não dá para ir muito além de admirar a beleza do Windows 95.

Doom 4 ainda vive e seu beta chegará junto do novo Wolfenstein

21/02/2014 às 11h22 por

Criado em 1992 para MSDOS, Wolfenstein 3D, considerado o primeiro jogo de tiro em primeira pessoa da história da humanidade, foi indiscutivelmente um divisor de águas no mundo dos games. Como você já deve saber, a Bethesda anunciou, recentemente, o lançamento de Wolfenstein: The New Order, uma versão baseada, aprimorada e 22 anos mais jovem do FPS. The New Order será lançado em 20 de maio para Xbox O

Modificaram um piano para jogar Doom utilizando suas teclas

17/09/2013 às 17h45 por

Nunca duvide da criatividade de desenvolvedores indies, ainda mais confinados em um espaço limitado no qual devem criar algo novo em pouco tempo. Foi sob essas circunstâncias que um grupo de Londres conseguiu modificar um piano que vale cerca de 48 dólares para jogar Doom utilizando suas teclas. Para conseguir isso, eles usaram fita de cobre para revestir os martelos e três placas I-PAC para fazer a comunicação com o computador. Além disso, todas as cordas do

O maior fracasso do mundo dos games: Daikatana

30/05/2012 às 17h31 por

Expectativa alta é algo extremamente perigoso. Embora curtir o hype ao redor de um lançamento faça parte da experiência (como comentei aqui), muitas vezes o sentimento de "Nossa, este jogo será incrível!" acaba nos tornando muito exigentes em relação ao jogo. Expectativas altas tem às vezes o poder de transformar pequenos defeitos de games excelentes em aparentes erros imperdoáveis. E o resultado é pior ainda quando há altíssima expect

Commandos e outros jogos deviam ser refeitos

21/12/2011 às 15h40 por

Acho que ninguém pode discordar que o universo da cultura popular contemporânea está intelectualmente falido. Ok, talvez o diagnóstico seja exageradamente pessimista, mas você tem que admitir vivemos num período em que quase tudo que se vê, tanto na TV quando no cinema, são remakes, continuações, reboots ou adaptações de material prévio. Nessa categoria entram os filmes baseados em livros, revistas em quadrinhos, videogame ou series antigas de TV. Hollywood espreme material intelectual já existente como se fosse uma mãe agressivamente econômica f

Código-fonte de Doom 3 é liberado como open source

23/11/2011 às 19h41 por

Anunciado em agosto desse ano, a Id Software liberou o código-fonte do Doom 3 como open source aconteceu agora há pouco, e já pode ser baixado por qualquer um que queira começar a desenvolver seus próprios jogos a partir do jogo original. O código-fonte do jogo, que usa o engine id Tech 4, agora pode ser acessado,

Doom é liberado para venda na Alemanha com 17 anos de atraso

01/09/2011 às 17h12 por

Foram 17 longos anos de espera, mas finalmente os pobres cidadãos de (quase) todas as idades na Alemanha estão autorizados pelo governo local a viverem momentos de rara delicadeza e poesia enquanto tentam usar uma metralhadora giratória para derrotar um demônio cibernético que tem uma bazuca implantada no lugar de uma das mãos. Eles agora podem comprar o conhecido jogo Doom.Lançado em dezembro de 1993 pela iD Software, logo depois de sua chegada às lojas Doom teve suas vendas restritas na Alemanha por suas cenas de violênc

Doom 3 será liberado como open source

09/08/2011 às 17h08 por

Notícia ótima para os fãs de jogos: durante o último QuakeCon (evento anual sobre videogames) John Carmack (co-fundador da id Software e criador da série de jogos Doom) anunciou que o código-fonte da terceira versão do jogo deve ser liberado como open source até o fim do ano. Durante o mesmo anúncio, John pediu que outros desenvolvedores fizessem o mesmo com o código-fonte de jogos antigos: que liberassem as informações para o público e deixassem as pessoas se divertirem criando modificações nos

Os pioneiros do FPS, RPG, corrida e outros

12/07/2011 às 17h23 por

O universo gamer (muito como o cinema; é curioso notar o quão similares as duas indústrias são) se vê constantemente acusado de falta de originalidade. Entra ano e sai ano, vemos inúmeras continuações e remakes de games clássicos e muito pouco conteúdo original. O motivo é tão simples quanto é transparente: desenvolver games é, como qualquer outro investimento, uma aposta. E é mais seguro apostar naquilo que já se sabe que dá certo. Apesar de fazer sentido comercialmente falando, esse constante retorno às mesmas franquias de sempre fica tão óbvio que chega a ser vergonho

Carregar mais posts