Início » Telecomunicações » IBM cria chip minúsculo que pode trafegar dados à taxa de 400 Gb/s

IBM cria chip minúsculo que pode trafegar dados à taxa de 400 Gb/s

Emerson Alecrim Por

Vez ou outra falamos aqui no Tecnoblog de tecnologias que prometem acesso à internet na casa de dezenas de gigabits por segundo. Só que não adianta nada contar com velocidades tão altas se não há equipamentos compatíveis, certo? Pois este minúsculo chip desenvolvido pela IBM pode ser uma das primeiras soluções para esta limitação.

Criado por engenheiros norte-americanos em colaboração com um centro de pesquisa da empresa na Suíça, o chip é um conversor analógico-digital realmente muito pequeno, tanto que é possível colocar vários deles ao mesmo tempo na ponta de um dedo. A despeito do seu tamanho, o componente é capaz de trabalhar com taxas de transferência de dados entre 200 e 400 Gb/s.

Isso significa que o chip pode transferir de 25 a 50 gigabytes por segundo. Na prática, estas taxas equivalem a transferir um vídeo de duas horas em resolução 4K e que tem, portanto, cerca de 160 GB de tamanho, em apenas alguns poucos segundos.

Não é uma graça?

Não é uma graça?

Inicialmente, esta tecnologia será empregada em atividades de pesquisa e afins, mas encontrar um chip como este em dispositivos móveis do futuro talvez não seja tão difícil assim.

Primeiro porque o tamanho diminuto facilita a sua implementação, pelo menos teoricamente. Segundo porque, com a sua tecnologia de fabricação de 32 nanômetros, o chip trabalha com apenas 2,1 W, ou seja, não será necessário sacrificar a bateria em troca de velocidades estonteantes.

Tudo muito legal, só que é importante ressaltar que a gente usa a questão do acesso à internet como parâmetro de comparação, mas a verdade é que este chip pode ser utilizado em várias outras aplicações. A primeira delas, inclusive tem pouco a ver com a internet.

A IBM explicou que o chip já está sendo produzido pela Semtech e deverá equipar o telescópio Square Kilometer Array. Exagero? Nem um pouco: com a intenção de ser maior telescópio do mundo, este equipamento deverá gerar volume de dados de aproximadamente mil petabytes por dia quando estiver em plena operação.

O Square Kilometer Array deverá entrar em operação a partir de 2018

O Square Kilometer Array deverá entrar em operação a partir de 2018

Com informações: ZDNet

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação