Início » Jogos » Epic é processada por colocar "dança do Carlton", de Um Maluco no Pedaço, em Fortnite

Epic é processada por colocar “dança do Carlton”, de Um Maluco no Pedaço, em Fortnite

Para Alfonso Ribeiro, que interpretou o personagem na série, Fortnite copiou a dança que ele fazia na série

Victor Hugo Silva Por

Fortnite possui uma série de referências à cultura pop, mas isso tem levado a alguns processos contra a Epic Games, a criadora do jogo. O mais recente deles foi aberto por Alfonso Ribeiro, que interpretava Carlton Banks na série Um Maluco no Pedaço.

O ator afirma que Fortnite copiou a dança que ele fazia no programa e a ofereceu em uma emote, isto é, uma dança feita pelos personagens. Trata-se de um item opcional que em algumas situações – como é o caso da “dança do Carlton” – exige um pagamento em dinheiro para ser desbloqueado.

Fortnite tem referência à "dança do Carlton", de Um Maluco no pedaço

Segundo o TMZ, Ribeiro destaca no processo que criou a dança nos anos 90, enquanto Fortnite liberou o emote apenas em janeiro de 2018. No jogo, a dança é conhecida como “Fresh”, provavelmente em referência a The Fresh Prince of Bel-Air, nome original da série.

Ribeiro também diz, na ação, que está criando o copyright de sua dança. Há poucos dias, a Epic Games foi processada pelo rapper 2 Milly. Assim como o ator, ele afirma que a empresa copiou sua dança para a música Milly Rock e a incluiu no jogo como a emote “Swipe It”.

Para David Hecht, advogado de Ribeiro, está claro que a imagem e a propriedade intelectual de Ribeiro foram mal usadas pela Epic Games.

“A Epic teve lucros recordes com conteúdos para download no jogo”, disse Hecht ao TMZ. “No entanto, a Epic não conseguiu compensar ou nem mesmo pedir permissão a Ribeiro para usar sua imagem e propriedade intelectual icônica”.

Veja a comparação entre a emote de Fortnite e a dança de Ribeiro:

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

kyletrail

gabriel_p_b already

malcolmsperling

Marcelo_SCM 3+

paulo yan

Quando li o título da matéria, a princípio achei que o Alfonso estava errado. "Poxa, o que tem? A empresa está até ajudando a promover ele novamente", pensei. Mas ao ler a matéria e ver que a Epic está faturando com isso, em uma dança que claramente foi inspirada em seu personagem, e sequer perguntou ao cara se poderia ou não, mudei de opinião. Eles poderiam ter feito uma belíssima homenagem e terem faturado com isso, mas fizeram do jeito errado.

Dayman Novaes

LessTech, muito boa a sua colocação. O único problema é o seguinte,

nesse tipo de discussão sobre "Ética" e "propriedade", quanto mais objetiva é a colocação e a definição dos termos, melhor é a sustentação filosófica que ambasa nossas AÇÕES e definições de certo e errado.

Repito, sua colocação foi muito boa, mas é o tipo de colocação que eu faria escrevendo um texto mais reflexivo por exemplo, e não tentando definir de forma objetiva sobre o que é certo e errado (e "certo e errado", em raros casos são sim objetivos, é justamente o que o campo da Ética estuda).

Você usa os termos "recurso", "tempo", "apossar" e "autorização" de forma não muito formal e portanto relativizável, o que não tem problema nenhum dependendo do contexto, só não serve para o estudo da Ética.

Se você encontrar uma forma extremamente objetiva de definir "apropriação intelectual" (ou se conhecer algum autor que o faça), de forma que não precise de excessões arbitrárias, como: "métodos matemáticos e procedimentos cirúrgicos", por favor me apresente, que vou mudar minha opinião.

Só pra deixar mais concreto e dar alguns exemplos,

- Existem matemáticos que gastam décadas de suas vidas desenvolvendo teorias e métodos de cálculo. Esse cara publica um livro sobre o seu método, e de repente todo mundo começa a usar o método dele e ganhar dinheiro com isso. De acordo com a lei de PI, ele NÃO TEM propriedade sobre a "ideia", portanto, as pessoas estão "roubando tempo de vida" dele?

- Pessoas que gastaram décadas de vida desenvolvendo um MODELO DE NEGÓCIO extremamente eficiente, como o Lean Startup, vão lá e publicam um livro, e de repente todas as Startups do mundo começam a lucrar com isso. Elas estão "roubando tempo de vida" dele?

- Quando nós estamos aqui, debatendo livremente, eu vou usar os seus argumentos a favor de PI para fortalecer meus argumentos contra PI e, com isso, escrever um livro que eu possa vender e ganhar dinheiro. Eu estou "roubando tempo de vida" seu? Devo pagar royalties para você? A mesma lógica inversa.

Claro, que todos esses casos estão cobertos na Lei de Propriedade Intelectual, mas são todos casos arbitrariamente cobertos. É diferente da Lei de Propriedade Privada, que é extremamente objetiva e funciona para todos os casos, para todas as pessoas, sem excessão. E "ideias" não se encaixam na lei objetiva de propriedade privada. Repito, se você conseguir definir alguma, você vai conseguir ganhar muito dinheiro, porque ainda não existe.

Quer um exemplo de como ela se aplica objetivamente? Quando você faz um acordo com outra pessoa (ou instituição, como o Disqus, por exemplo), você estão sob a lei de propriedade privada, porque cada parte se comprometeu voluntariamente a dar algo: você se compromete ser quem disse que é, e o Disqus se compromete funcionar como plataforma de comentários.

Se você entrar no Disqus se passando por outra pessoa, como quando fez aquela piadinha se passando por mim, você vai estar violando o acordo que fez com o Disqus e, portanto, violando a lei de propriedade privada, o que é OBJETIVAMENTE roubo (você se comprometeu a dar algo e não deu).

Novamente, essa ideia de evitar "roubar tempo de vida" dos outros é muito bonita mesmo e foi uma ótima colocação, mas é igual socialismo, uma sociedade bonita na qual todos têm suas necessidades satisfeitas. Mas se não existe forma OBJETIVA de definir como as coisas vão funcionar, não é possível que se aplique uniformemente para todas as pessoas, e sempre vai exigir uma autoridade externa dizendo como a lei vai se aplicar para cada caso.

Cristina Nascimento

Nem achei o tal Pegasus..

Pedro Cavalieri

Eu agradeço seu elogio, mas a verdade é que eu não tinha percebido que estava discutindo com um ancap, ou eu nem teria perdido meu tempo HUAUHAUHAUHAUAHUHA

Paçaro

Meu anjo, meu amor, meu lindo, já apontaram N contradições suas, só que você não percebeu porque você é um ancapzinho cabecinha oca.

Beijos.

Paçaro

Pimenta nos olhos dos outros...

­­­­­­­­­­­­­­­

Ninguém merece...

João

Parece aqueles chineses q roubam propriedades intelectuais a cada 10 segundos.

João

Fez certo, tem que processar. Epic lucrando milhões com os cartões das mamãezinhas dos kids jogando esse joguinho e quem criou as danças se lasca.

Juninho

Cara, você até foi muito mais muito paciente mesmo para explicar algo tão óbvio para um alguém que usou de argumentos falhos para justificar nada com nada

John Smith

E considerando o dinheiro que ela tá fazendo com Fortnite, pode muito bem pagar esse licenciamento sem ficar se apropriando de conteúdo dos outros.

John Smith

Incrível é ver o maluco tentando defender a Epic de toda forma e ele realmente se acha na razão.
https://www.whatstube.com.b...

John Smith

Não sei se você realmente é tão inocente ou só sonso, mesmo.

Exibir mais comentários