Início » Cultura » Disney oferece R$ 50 milhões à Starz para usar marca Star+ no Brasil

Disney oferece R$ 50 milhões à Starz para usar marca Star+ no Brasil

Starz tenta barrar uso da marca Star+ na Justiça; serviço de streaming com conteúdo mais adulto da Disney seria lançado em 31 de agosto

Lucas Braga Por

A Walt Disney Company quer lançar até o final do mês um novo serviço de streaming voltado para o público mais adulto, mas o conglomerado de mídia enfrenta uma batalha na Justiça para usar a marca Star+. A companhia do Mickey propôs pagar R$ 50 milhões para cobrir possíveis danos à Starz, dona da plataforma StarzPlay.

Os Simpsons

Os Simpsons é um dos conteúdos que estará (estaria?) disponível no Star+ (Imagem: Divulgação / Star+)

Entenda o imbróglio entre Starz e Disney

A Starz não é uma companhia de mídia tão popular no Brasil como Disney, Netflix e HBO, mas tem relevância no setor de entretenimento: o StarzPlay foi lançado como serviço de streaming no país em outubro de 2019, inclusive em parceria com grandes empresas como Amazon Prime Video, Apple TV e operadoras de telecomunicações.

Por outro lado, a Disney escolheu a marca Star para substituir o nome da antiga Fox. A partir daí, a companhia também resolveu adotar a nomenclatura Star+ para o serviço de streaming com conteúdo menos infantil, que terá títulos como Os Simpsons, Family Guy, Grey’s Anatomy e This Is Us.

Aplicativo Starzplay no Android (Imagem: Lucas Lima/Tecnoblog)

Aplicativo Starzplay no Android (Imagem: Lucas Lima/Tecnoblog)

A Starz não ficou muito satisfeita com o lançamento da Disney e entrou com um registro de oposição de marcas no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), órgão responsável pelo registro de marcas no Brasil. Pedidos similares também foram apresentados a entidades equivalentes na Argentina e México.

Na Justiça, a Starz conseguiu uma antecipação de tutela recursal que exigiu à Disney que se abstenha de utilizar as expressões Star Plus e Star+ no novo serviço de streaming. O desembargador Jorge Tosta considerou que a empresa “passará a ofertar serviços de entretenimento idênticos aqueles que já são fornecidos pela agravante [StarzPlay]”, e que “um consumidor, ao referir-se aos serviços de streaming ofertados pelas partes, não o fará dizendo que assistiu a um filme pela ‘StarzPlay’ ou pela ‘Star Plus’, mas simplesmente pela ‘Star’”.

Disney oferece R$ 50 milhões para compensar danos

De acordo com o Notícias da TV, a Disney tenta resolver o caso para continuar usando a marca Star+: o conglomerado do Mickey ofereceu R$ 50 milhões à Starz para compensar “possíveis danos” que poderão ser causados pelo nome Star+ no Brasil.

No entanto, o desembargador responsável pelo processo não deferiu o pagamento da Disney antes da próxima audiência conciliatória, que acontecerá no dia 24 de agosto de 2021. Tosta afirma que “a caução ofertada pela agravante […] não pode ser mensurada neste momento”.

Algo me diz que a Starz não deve gostar dessa proposta: a companhia também luta pela marca Star em outros países; além disso, o StarzPlay possui uma certa relevância e terminou o ano de 2020 com 14,6 milhões de assinantes em todo o mundo.

Vamos concordar que os nomes são bem parecidos, vai.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
14 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Luander Falqueto Beltrame (@LuanderFB)

O nome é muito parecido, acho que a Disney tinha que ter pensado melhor no nome.

Zanac_Compile (@Zanac_Compile)

Negligência sem tamanho da disney escolher um nome desses com uma concorrente forte e popular já utilizando. O executivo que aprovou isso deve estar com a cabeça a prêmio.

Oferecer 50M não é nada…

João M. (@RonDamon)

E os atores que é bom não paga direito, certinho msm.

Fernando Val (@fval)

A empresa do Mickey está contando com todo seu “poder” para passar com seu rolo compressor por cima de qualquer concorrente menor. Por isso não se preocupou em fazer pesquisa no mercado e ver a disponibilidade do nome.

Afinal, ela é a Disney e o resto que saia de seu caminho.

Nessa eu torço para ela se dar mal.

Eu (@Keaton)

Que miséria. 50m para uma empresa que tem mais de 14m de assinantes… Não dá 1 mês de assinaturas. hahaha

@ksio89

A empresa do camundongo se enrolou à toa, com tanto nome disponível, porque tinham que batizar o serviço com um muito similar a um que já existia há mais de ano?

João Castello Branco (@joaocbbc)

A mesma Disney que batizou o bundle do Disney+, Hulu e ESPN de ‘The Stream’?

Anderson Carvalho (@andersondicarvalho)

Screenshot_20210803-144525_Chrome1080×1655 190 KB
Na verdade, a marca “Star” existe desde 1990, era de propriedade da Fox Networks Group, que foi vendida em 2018 pra The Walt Disney Company. A marca Star era usada em países asiáticos enquanto na América Latina era usado a marca “Fox”. O que a Disney fez foi unificar todas as marcas para o mesmo nome em todos os países em que ela atua. Até porque ela precisava desassociar a marca Fox, que continua existindo nos EUA, sendo parte de outro grupo e propriedade de Rupert Murdoch.

² (@centauro)

Não, ela provavelmente não vai mudar a estratégia global dela, mas disso concluir que o Brasil é um país insignificante é um salto bem grande.