6 dicas para aproveitar o máximo da viagem com a ajuda do seu smartphone

Não fique totalmente desconectado: o smartphone pode ser um grande aliado na sua viagem

Lucas Braga
Por
6 dicas para aproveitar o máximo da viagem com a ajuda do seu smartphone

Quem é que não gosta de viajar? Descobrir novos lugares é muito bom, mas seu passeio pode ficar ainda melhor se você contar com a ajuda do smartphone para organizar o roteiro, tirar dúvidas com os habitantes locais e facilitar a comunicação.

Como um viciado em ter meu passaporte carimbado, apresento a seguir seis dicas úteis para você melhorar sua viagem com um pouquinho de tecnologia.

1. Organizando os voos

flighttrack

Além de permitir que você encontre rotas para onde precisa viajar, o FlightTrack organiza de maneira prática todos os voos que você precisa tomar. É quase mágico: após comprar as passagens, basta encaminhar seu e-ticket para um endereço de email pré-determinado e todas as informações aparecerão automaticamente no aplicativo.

Também é legal o fato do aplicativo substituir aquele painel do aeroporto com as informações de voos: caso o portão seja alterado de última hora (e a possibilidade de isso acontecer com você é bem grande), você receberá uma notificação sobre a mudança. Ele também possui os mapas dos terminais de diversos aeroportos no mundo, o que pode facilitar na hora daquela conexão com horários apertados.

O aplicativo está disponível para Android e iOS. Ao menos na plataforma da Apple, é possível obtê-lo sem pagar nada a partir do aplicativo da Expedia, serviço de reservas de passagens aéreas e hotéis.

2. Encontrando locais e definindo um roteiro

foursquare

Esqueça aquela rede social de check-ins de antigamente: o Foursquare é o seu melhor amigo na hora de montar o roteiro da viagem. Além de sugerir lugares novos com base nas suas preferências, o aplicativo possui um recurso de listas — e eu recomendo bastante que você utilize-o para organizar seu passeio.

Além de auxiliar na organização, ele deve economizar tempo: com um toque, todas os locais salvos são exibidos em um mapa, permitindo que você explore vários locais de uma mesma região. Também é possível compartilhar sua lista com amigo. Se você usar o Swarm, os check-ins irão marcar automaticamente lugares daquela lista como visitados.

Não tem desculpa para não usar o app: tem para iOS, Android, Windows Phone e até interface web.

3. Como se virar com o idioma esquisito

Google-translate

Talvez o item mais importante desse guia, o Google Tradutor deve auxiliar bastante os que estiverem viajando para outro país e não dominarem o idioma local. Você pode salvar os dicionários para usá-los offline, e o aplicativo também possui modo de conversação, reconhecimento de imagens e até mesmo um recurso de desenho, útil numa viagem para algum país oriental.

São mais de 90 idiomas suportados e a precisão é muito boa, embora falhe no contexto algumas vezes. O aplicativo é gratuito e está disponível para Android e iOS. Usuários de Windows Phone podem acessar o serviço pelo navegador ou baixar o Translator, da Microsoft.

4. Comprar um chip local

various-sim-cards

Roaming internacional é uma realidade muito cara para muitos de nós, e a melhor alternativa para se manter conectado no exterior é adquirir o chip de alguma operadora local. Este índice do Mobile World Live mostra as operadoras do padrão GSM no mundo inteiro e, a partir daí, basta procurar o site das companhias e escolher o melhor plano que atender melhor as suas necessidades.

Chegando ao destino, basta procurar a loja da operadora e solicitar uma linha pré-paga. Normalmente, ligações para o Brasil são bem caras, mas o acesso à internet por 3G ou 4G não costuma causar grandes estragos na sua carteira — ou seja, você pode usar o WhatsApp ou Skype para fazer chamadas de voz quando precisar. A wiki Prepaid With Data é um canivete suíço para obter informações sobre os planos de dados das principais operadoras do mundo.

5. Qual a senha do Wi-Fi?

mandic-magic

Ok, talvez você opte por não gastar dinheiro com chip porque não vê necessidade em usar a internet em qualquer lugar, mas vale a pena instalar o Mandic Magic no seu smartphone. Criado por brasileiros, é uma espécie de rede social para troca de senhas Wi-Fi. É possível, inclusive, salvar os hotspots da região desejada para descobrir as senhas quando você estiver totalmente sem internet.

O aplicativo é gratuito e está disponível para Android, iOS e Windows Phone. Aliás, baixe-o mesmo se você não for viajar — existem muitas senhas compartilhadas aqui no Brasil.

6. Bateria externa

Créditos da imagem: Tranpan23/Flickr

Você vai tirar fotos, traçar rotas no GPS, procurar lugares na internet e comunicar-se com quem você se importa. Não dá para negar que seu celular é um excelente companheiro de viagem. Só que nem sempre a bateria dura o dia inteiro, e é por isso que a bateria externa é um acessório quase tão importante quanto um protetor solar.

Existem modelos para todos os gostos (e bolsos). Em sites chineses, é possível encontrar aquelas bem baratinhas, de 10 dólares, mas não espere confiabilidade nem uma boa autonomia de cargas. À venda no Brasil, existem dois modelos que recomendo: a Sony CP-F5 (5.000 mAh) e a TP-Link TL-PB10400 (10.400 mAh).

Acho a última mais interessante por conseguir fazer de três a cinco cargas completas em um smartphone. Se você for viajar para os Estados Unidos, recomendo fortemente as baterias da Anker, que vende em diversos modelos, tamanhos e capacidades. Vale a pena comprar online e pedir a entrega onde você estiver hospedado – foi o que eu fiz!

Você tem alguma outra dica muito útil? Escreva nos comentários e compartilhe com a gente!

Relacionados

Relacionados