Início / Especiais / Computador /

Os planos da Compaq para voltar a crescer no Brasil

A Compaq está de volta ao Brasil pelas mãos da GlobalK. Mas não é como antes: o foco agora são computadores de baixo custo.

Emerson Alecrim

Por

Especial
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Se você for comprar um notebook hoje, talvez encontre um modelo da Compaq pelo caminho. Sim, estou falando daquela marca de computadores que outrora ocupava lugar de destaque nas prateleiras e anúncios de jornais. A Compaq voltou ao Brasil em 2015 e tem planos ambiciosos para a região, mas é bom saber desde já: não é nada como antes. O foco da marca está em equipamentos de baixo custo.

A Compaq foi fundada nos anos 1980 para fazer frente à IBM no então promissor segmento de PCs. Deu certo. Ao longo dos anos seguintes, a companhia conquistou outros mercados além dos Estados Unidos e lançou alguns equipamentos memoráveis.

Compaq Armada 13

Compaq Armada 13

No Brasil, lembro bem que, no final dos anos 1990 e início dos anos 2000, os PCs “monobloco” da Compaq eram objetos de desejo. Muita gente — inclusive este que vos escreve — recorria a computadores montados em lojas porque desktops “de marca” costumavam ser caros e eram equipados com componentes proprietários, dificultando upgrades ou reparos. Mesmo assim a Compaq vendia bem.

Em 2002, a HP incorporou a Compaq. O negócio foi um tanto conturbado, com autoridades reguladoras questionando alguns aspectos do acordo e acionistas temendo prejuízos por conta da forma confusa com a qual o processo conduzido.

De fato, parece não ter sido mesmo um grande negócio. Ainda que a HP tenha conseguido ampliar a sua participação no segmento de PCs com a compra, a marca Compaq foi aos poucos perdendo força. Em 2013, a produção de computadores com o selo Compaq foi descontinuada nos Estados Unidos e em vários outros países.

Presario 4410, um dos monoblocos da Compaq

Presario 4410, um dos monoblocos da Compaq

Como marca, a Compaq só não morreu de vez porque a HP passou a licenciá-la. É neste ponto que chegamos ao retorno da Compaq ao Brasil: em 2014, uma empresa de nome GlobalK (fundada no mesmo ano) fechou um acordo com a HP para comercializar computadores com a marca por aqui.

Em 2015, já era possível encontrar laptops Compaq no varejo brasileiro, com destaque para o Presario CQ-23, modelo de 14 polegadas que é comercializado até hoje com preço inicial na casa dos R$ 1.300. Trata-se de um equipamento de entrada, baseado em um processador Intel Celeron.

Há modelos com mais recursos, como o CQ-21, que oferece processador Intel Core i3 e tela de 14 polegadas por cerca de R$ 1.600. Mas a gente não deve esperar nada muito avançado: a GlobalK faz questão de deixar claro que a sua principal estratégia é apostar em computadores de baixo custo. Talvez a empresa mude de planos algum dia, mas, por ora, não vamos encontrar um notebook Compaq com processador Core i7, por exemplo.

Compaq Armada 13

Compaq Armada 13

Eu disse a Camilo Stefanelli, CEO da GlobalK, que achei essa estratégia estranha. Mas ele me explicou que colocar computadores parrudos no mercado é fácil. Difícil é conseguir bons volumes de vendas com esses equipamentos. A intenção da companhia é obter receita com máquinas que custam pouco, mas vendem muito.

Não é preciso ser analista de mercado para encontrar lógica aí: computadores poderosos enchem os olhos, mas o que sustenta mesmo esse mercado no Brasil são máquinas de custo baixo ou intermediário.

Compaq CQ-21

Compaq CQ-21

Todos os modelos da Compaq são produzidos na unidade da Flextronics em Sorocaba, interior de São Paulo. Tudo é feito com base nos critérios estabelecidos pela HP, segundo Stefanelli. Por mês, saem 10 mil computadores da marca de lá. A ideia é dobrar esse número até o final do ano. Para isso, a GlobalK pretende lançar dois novos notebooks a partir de julho.

O primeiro é o Compaq Armada 13, que terá tela de 13 polegadas, processador Core i5 de sétima geração, 4 GB de RAM, HD de 500 GB e, opcionalmente, SSD de 32 GB. O modelo deve ter preço inicial de R$ 1.999. Já o segundo será o Compaq Presario CQ-17, que terá especificações parecidas, mas trabalhará com processador Celeron e preços a partir de R$ 1.299.

Tem um desktop compacto na jogada também, o Compaq Presario CQ-14. O equipamento pode ser equipado com chip Celeron, Core i3 ou Core i5, e tem preço inicial de R$ 1.299. Mas, a princípio, esse modelo será vendido apenas a empresas e organizações governamentais.

A GlobalK também inaugurou a SincPlace, outlet sustentável localizado em Sorocaba. A loja deve ganhar uma versão online até agosto.

A GlobalK também inaugurou a SincPlace, outlet sustentável localizado em Sorocaba. A loja deve ganhar uma versão online até agosto.

É interessante como a GlobalK buscou uma estratégia pé no chão: além de se focar no segmento de computadores básicos e intermediários, a companhia decidiu não oferecer uma quantidade muito grande de modelos, o que a permite otimizar os custos de desenvolvimento e produção.

Considerando a realidade do nosso mercado, é uma abordagem que pode mesmo dar certo. Eu só torço para que os preços convidativos dos computadores Compaq não se traduzam em produtos de má qualidade ou serviços de pós-venda ruins, problemas que, como você sabe, são crônicos no Brasil.