Estes são os países que mais pirateiam software

Brasil é o país com menor índice de pirataria de software da América Latina

Paulo Higa
Por

Um levantamento da BSA, empresa que defende os interesses de direitos autorais de empresas como Microsoft, Autodesk e Adobe, mostra que a taxa de pirataria de software no Brasil caiu três pontos percentuais entre 2013 e 2015, chegando a 47%. O número está acima da média mundial de 39%, mas é o menor entre os países da América Latina.

Segundo a BSA, a queda pode ser atribuída às campanhas de conscientização, crescimento da cultura de gestão de ativos de software nas empresas e expansão da venda de softwares por meio de assinaturas, como comentamos no último Tecnocast. A Adobe, por exemplo, vende seus softwares apenas por meio do Creative Cloud; recentemente, a Autodesk também decidiu focar no modelo de assinatura.

pirataria

No Brasil, a redução na pirataria vem caindo aos poucos: era de 56% em 2009, passou para 53% em 2011 e chegou a 50% em 2013. As estimativas da BSA indicam que, em 2015, quando a taxa de pirataria foi de 47%, a soma do valor dos softwares não licenciados no Brasil era o equivalente a 1,8 bilhão de dólares.

Esta é a lista dos países que mais pirateiam software:

  1. Zimbábue (90%)
  2. Líbia (90%)
  3. Venezuela (88%)
  4. Bangladesh (86%)
  5. Armênia (86%)
  6. Moldávia (86%)
  7. Iraque (85%)
  8. Belarus (85%)
  9. Indonésia (84%)
  10. Paquistão (84%)

Na outra ponta da tabela:

  1. Estados Unidos (17%)
  2. Nova Zelândia (18%)
  3. Japão (18%)
  4. Austrália (20%)
  5. Áustria (21%)
  6. Suécia (21%)
  7. Dinamarca (22%)
  8. Alemanha (22%)
  9. Reino Unido (22%)
  10. Noruega (23%)

As estimativas levam em consideração uma pesquisa com 20 mil usuários domésticos e corporativos. Elas contabilizam licenças inválidas de qualquer tipo de software, incluindo sistemas operacionais, jogos e aplicativos empresariais, instalados em desktops e notebooks. Você pode conferir o estudo completo nesta página.

Relacionados

Relacionados