Sony decide encerrar produção do PS Vita no Japão

Lançado em 2011, PlayStation Vita terá produção encerrada pela Sony no Japão em março de 2019; companhia não vai lançar sucessor

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 2 anos
PS Vita

Esta é a semana da feira Tokyo Game Show 2018. É de lá que vem uma notícia desagradável para os fãs do PlayStation Vita (ou PS Vita): Hiroyuki Oda, vice-presidente da Sony Interactive Entertainment, informou que o console portátil da companhia vai deixar de ser produzido no Japão em 2019. A pior parte é que nenhum sucessor está previsto.

Ainda não está claro se essa decisão afetará a produção de unidades destinadas a outros países, mas é provável que sim: apesar de contar com jogos renomados, como Persona 4 Golden e Final Fantasy X, o PS Vita nunca foi um campeão de vendas.

O PlayStation Vita foi lançado em 2011 no Japão (e em 2012 nos Estados Unidos e outros países) e, desde então, acumula 16 milhões de unidades vendidas em todo o mundo, número que também engloba a versão Slim do console. Não é uma quantidade ruim, mas a geração anterior, o PSP, vendeu muito mais: 80 milhões de unidades.

Um dos fatores que afetaram as vendas do PS Vita, provavelmente, foi a ascensão do mercado de games para smartphones e a competição com a rival Nintendo. Esses mesmos fatores podem explicar a decisão da Sony de não lançar um sucessor para o PS Vita.

Para quem acompanha a linha PlayStation de perto, a notícia não surpreende. Sinais de desgaste do PS Vita começaram a surgir há algum tempo. Jogos da Sony específicos para o console não são lançados desde 2015, para dar um exemplo.

A produção do PlayStation Vita no Japão deverá ser encerrada no fim de março de 2019.

Com informações: Polygon, Gematsu, Famitsu.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados