Android Q terá suporte a ações semelhantes a 3D Touch do iPhone

Recurso chegou atrasado e todas as grandes fabricantes de smartphones Android não utilizam solução proprietária.

André Fogaça
Por
• Atualizado há 2 anos

Mesmo depois da Samsung abandonar as telas que são capazes de identificar a pressão do toque no Galaxy S10, o Google resolveu que seria interessante levar esta capacidade para o Android e de forma nativa. A informação apareceu em documentos para o Android Q e que ainda está em fase inicial de testes.

O documento encontrado demonstra qual é a reação do sistema operacional com a interação do usuário, seja ela em um toque simples, com uma caneta stylus, mouse e uma nova definição chamada de “deep press”. “O fluxo de eventos atual representa o usuário pressionando com mais força e intencionalmente a tela. Este tipo de classificação deve ser usado para acelerar o comportamento de pressionar por longo tempo”, diz o documento.

Este tipo de interação ficou famosa com o 3D Touch do iPhone e que entrega toda a frente do aparelho em uma camada de tela que consegue identificar a pressão exercida, entregando uma forma extra de experiência de uso. No iPhone o hardware precisa contar com suporte para a tecnologia, mas ainda não está claro se isso valerá para o Android Q também – ou se o Google tem alguma carta na manga que utiliza telas convencionais para detectar pressão.

A Samsung chegou a entregar uma área sensível a pressão no Galaxy S8, manteve o recurso no S9 e abandonou por completo nos recentes S10. Nenhuma outra empresa de grande porte como Motorola, LG e Sony utilizam algo semelhante em seus smartphones – nem nos modelos mais caros.

Com informações: 9to5Google.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
André Fogaça

André Fogaça

Ex-autor

André Fogaça é jornalista e escreve sobre tecnologia há mais de uma década. Cobriu grandes eventos nacionais e internacionais neste período, como CES, Computex, MWC e WWDC. Foi autor no Tecnoblog entre 2018 e 2021, e editor do Meio Bit, além de colecionar passagens por outros veículos especializados.

Relacionados