Homem é preso após usar auxílio da pandemia para comprar card de Pokémon

Card raro de Pokémon também teve que ser entregue para as autoridades nos EUA, depois que homem foi condenado a três anos de prisão

Felipe Vinha
Por

Um morador da Geórgia, nos Estados Unidos, pegou cadeia após usar o auxílio emergencial para a pandemia da COVID-19 na compra de um card raro de Pokémon. Vinath Oudomsine alegou ter um pequeno negócio que foi prejudicado pela quarentena, com 10 funcionários, e recebeu cerca de US$ 85 mil do governo por isso. Acontece que tudo não passava de uma grande mentira.

Card raro de Pokémon foi protagonista de prisão nos EUA (Imagem: Reprodução)

Oudomsine gastou US$ 57 mil deste dinheiro na compra de um card da coleção original de Pokémon TCG, mais precisamente o card do Charizard, considerado um dos mais raros e caros de todos os tempos. O item estava em perfeitas condições de conservação, o que eleva ainda mais seu preço de mercado.

Obviamente, o grande problema é que Oudomsine mentiu sobre ter o pequeno negócio com 10 funcionários. Isso levou a uma condenação de três anos de prisão e o pagamento de US$ 10 mil de multa, para compensar os gastos do governo.

Além do cumprimento da pena, Oudomsine também vai ter liberdade condicional por mais três anos. Assim ele ficará livre da prisão após o período inicial, mas vai ter que seguir uma série de regras e condutas estabelecidas pela justiça da Geórgia.

Por fim, o cidadão também foi condenado a entregar o card do Charizard para o governo. Ou seja, mentiu, foi preso e ainda ficou sem o mais raro dos cards de Pokémon TCG. Pelo visto não valeu a pena mesmo.

Card supervalorizado

O pior de tudo é que Oudomsine pagou até um pouco caro demais pelo card. Uma busca rápida no eBay indica que ele pode ser encontrado por cerca de R$ 500, bem abaixo dos milhares de dólares da compra que o levou à prisão – ainda que sejam anúncios em leilão.

Quem tem mais de 30 anos, no Brasil, deve se lembrar que este card foi dado de graça na estreia do primeiro filme de Pokémon por aqui. É possível que muitos brasileiros tenham esta joia em casa. Dependendo do estado de conservação, pode valer algum grana em sites de leilão e revenda de usados.

Com informações: Polygon.

Felipe Vinha

Ex-autor

Felipe Vinha é jornalista com formação técnica em Informática. Já cobriu grandes eventos relacionados a jogos, como a E3, BlizzCon e finais mundiais de League of Legends. Em 2021, ganhou o Prêmio Microinfluenciadores Digitais na categoria entretenimento. Foi autor no Tecnoblog entre 2020 e 2022, escrevendo principalmente sobre games e entretenimento. Passou pelos principais veículos do ramo, e também é apresentador especializado em cultura pop.

Relacionados

Relacionados