Amazon pune autores do Kindle Unlimited por seus livros aparecerem em sites piratas

Escritores com livros na plataforma da Amazon têm um acordo de exclusividade com a empresa; obras foram removidas do serviço

Paula Alves
Por
• Atualizado há 5 meses
10 livros de romance disponíveis no Kindle Unlimited / Photo by @felipepelaquim on Unsplash / Reprodução
Kindle (Imagem: Reprodução / Photo by @felipepelaquim on Unsplash)

Alguns escritores independentes cujos livros estão disponíveis no Kindle Unlimited tiveram uma surpresa não muito agradável nos últimos dias. Após seus títulos aparecem em sites piratas, a Amazon decidiu puni-los por violarem o contrato de exclusividade com a plataforma, retirando as publicações do seu serviço de assinatura.

O Kindle Direct Publishing (KDP) é atualmente o serviço de autopublicação mais popular da internet. Embora ele também seja alvo de críticas, como o fato de cobrar uma taxa de entrega de e-books, o serviço ficou famoso por ser gratuito e oferecer uma maneira fácil e cômoda de publicação para os escritores independentes.

Além de colocar o livro à venda na loja da Amazon, caso queira, o autor também pode disponibilizá-lo no Kindle Unlimited, precisando para isso seguir algumas regras do serviço de assinatura da empresa. Entre elas está uma cláusula de exclusividade, que garante que o título não seja vendido ou apareça em nenhuma outra loja ou serviço.

Amazon pune autores do Kindle Unlimited, após seus livros aparecerem em sites piratas / Divulgação / Amazon
Kindle Unlimited (Imagem: Divulgação / Amazon)

Escritores dizem não ter controle sobre pirataria

De acordo com os escritores envolvidos na situação, eles foram notificados por e-mail pela Amazon, que os avisou que seus livros haviam sido encontrados em outros locais da internet. Devido a isso, as obras haviam sido apagadas do Kindle Unlimited, e, em alguns casos, até mesmo a conta do autor havia sido removida da plataforma.

A situação, no entanto, causou indignação entre os envolvidos, já que os locais listados apontavam para sites piratas, que publicam as obras em questão sem o consentimento do autor.

Raven Kennedy, autora que ficou bastante popular por suas séries de fantasia e foi uma das punidas pela empresa, fez um desabafo sobre o assunto no Instagram, causando comoção entre os leitores, que acharam a violação injusta por estar fora do controle da escritora.

Amazon busca solução adequada

Segundo o TorrentFreak, que entrou em contato com a Amazon, a empresa afirmou que envia uma pré-notificação para os envolvidos, com tempo para que ele “consertem” a situação, antes de tomar qualquer decisão.

A companhia, no entanto, também afirma estar ciente do que aconteceu e das particularidades dessa infração.

Diante disso, eles disseram que estão trabalhando com as pessoas envolvidas para encontrar uma solução adequada. O que, inclusive, fez com que os próprios livros de Kennedy já voltassem a ficar disponível no Kindle Unlimited

Na esteira de toda essa polêmica, foi criada uma petição online criticando a remoção injusta de livros da Amazon e pedindo que a empresa reveja sua política de contratação para o KDP.

Receba mais sobre Amazon.com na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paula Alves

Paula Alves

Repórter

Paula Alves é jornalista especialista em streamings e cultura pop. Formada pela Unesp (Universidade Estadual Paulista), antes do Tecnoblog, trabalhou por sete anos com jornalismo impresso na Editora Alto Astral. No digital, escreveu sobre games e comportamento para a Todateen e sobre cinema e TV para o Critical Hits. Apaixonada por moda, já foi assistente de produção do SPFW.

Relacionados