Arquivo do Word sobre “meteverso” do Facebook revela autor de atentado fake

Maleta bomba — que não tinha bomba — foi encontrada com carta contra o “meteverso” e Mark Zuckerberg; autor é funcionário da faculdade alvo do “atentado”

Felipe Freitas
Por
Mark Zuckerberg (imagem: Reprodução/Facebook)

No dia 13 de setembro, um falso atentado terrorista na Northeastern University mobilizou o FBI e o esquadrão antiterror de Boston. Contudo, conforme concluiu a investigação, tudo não passou de uma invenção de Jason Duhaime, um dos diretores do Estúdio de Mídia da própria universidade.

O curioso é que Duhaime, agora ex-funcionário da Northeastern, escreveu uma carta falsa (veja na íntegra no fim do texto) acusando Mark Zuckerberg de querer destruir a sociedade com a criação de um meteverso” (sim, com “mete” mesmo). Na universidade, Jason era — veja só — responsável por orientar estudantes e projetos de realidade virtual.

Carta de “autor” do atentado estava no Word de notebook da universidade

Logo no início da ocorrência, o FBI suspeitou que o atentado terrorista foi uma armação. Primeiro, a mala onde a “bomba” explodiu não possuía nenhuma “marca de queimado, rachadura, buracos” ou qualquer outra evidência de que ela havia passado por uma explosão — seja forte ou fraca. 

Segundo, Jason Duhaime, que ligou para os serviços de emergências, alegou que seus braços foram cortados por estilhaços após abrir a “mala-bomba”. Duhaime mostrou para os policiais pequenas lesões e hematomas, mas a manga comprida da sua camisa estava intacta

Bem, havia a carta do autor ameaçando o diretor do laboratório e todo o departamento de Estúdio de Mídias da Northeastern University. O FBI poderia “fazer um CSI”, buscar impressões digitais na carta e descobrir o autor, certo? Não. A solução foi muito mais simples.

Um dos peritos do FBI encontrou, no notebook Alienware do laboratório, a carta do terrorista em uma pasta de backup. O arquivo estava no formato .asd, que é usado pelo Microsoft Word para salvar arquivos automaticamente a cada certo período de tempo. 

Isso é foi considerado uma prova de que Jason Duhaime escreveu a carta e a imprimiu, fechando o Word na sequência. O diretor do laboratório acreditou que o documento seria excluído permanentemente, já que ele não clicou no botão de salvar. O FBI não revelou a motivação de Duhaime.

Leia a carta traduzida na íntegra (incluindo os pontos de exclamação) — em negrito a versão “traduzida” dos erros de ortografia.

“Ao diretor do laboratório de Realidade Virtual e outros diretores de laboratórios da MSO [Organização de Estúdio de Mídia da universidade de Northeastern]!!!! Fomos informados que este laboratório de RV está tentando mudar a nossa forma de mundo! Tentando nos colocar em um mundo que nós somente nos comunicamos por headsets e vivemos em uma terra chamada de METEVERSO! Que nós temos imagens pintadas por computadores através de IA!!!!!! Vocês estão tentando mudar o tecido da ideologia das pessoaaaaaas! Tentando nos colocar dentro de um mundo virtual f*****!!!! Você não é o criador!!!!!!!!! Você pensa que você é!!!!! Nós sabemos que você é o anticristo enviado a este mundo para mudar tudo!!! Nós te pararemos!!!

Nós sabemos que você está trabalhando com o Sr. Mark Zuckerberg e o governo dos Estados Unidos!!!! Nós vimos, na sede, as conversas de Marks com o MSO!!!! Nós sabemos que ele empregou a sua equipe do MSO e que você está viajando secretamente para vê-lo e lhe dar os resultados dos testes!!! Nós sabemos que ele lhe entrega documentos secretos para viajar de volta com você!!! Mark Zuckerberg é o chefe da CIBERSEGURANÇA DOS ESTADOS UNIDOS!!! Não a Meta!!! Ele está financiando o laboratório Fantasma!!! Nós sabemos que o projeto é apresentado como um projeto militar mas não é para os militares iiisso é para destruir a NÓS todos COMO SOCIDADE (sic). Nós sabemos que você também está trabalhando em um projeto secreto de voo para escanear prédios ao redor do mundo para que Mark controle o google maps. Nós sabemos que você tem vários professores e alunos que entram no laboratório e colocam headsets para realizar encontros secretos com Mark. Nós sabemos que você está fazendo rastreamento de olhos e medindo pulso artificial de sidborgs. Os robôs que você está construindo estão caminhando pelo campus da NEU, MIT e Harvard. Nós sabemos que no seu espaço de criadores do 4º andar você está fazendo modelos 3D do Mark para o sieu novo headsettttttt (VR). Nós sabemos que vocês estão construindo os robôs dele!!! Você diz que as pessoas visitando são estudantes, mas sabemos que eles são empregados do Mark e contratados por fora da MSO. Isso precisa parar imediatamente!!! Se você não parar esse trabalho nós teremos que destruir os laboratórios e a MSO! Nós poderíamos ter passado uma serra no laboratório do quarto andar que Mark está financiando!!!! Nessa mala que você pegou hoje nós poderíamos ter plantado explosivos, mas não dessa vez!!!”


Com informações: Universal Hub e Boston.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados