Cambridge Analytica

A Cambridge Analytica está mesmo fechando as portas. No início do mês, a companhia anunciou a decisão de encerrar as suas operações por consequência da controvérsia com o Facebook. Nesta semana, a companhia avançou uma etapa no processo: abriu um pedido de falência para a sua filial nos Estados Unidos.

Quando anunciou o encerramento de suas operações, a Cambridge Analytica atribuiu à decisão à falta de clientes. A empresa surgiu em 2013 como um braço do SCL Group (que também está fechando) voltado a análises de dados para fins comerciais e, principalmente, políticos. Mas, desde que o escândalo veio à tona, a clientela sumiu.

Pelo menos é o que a Cambridge Analytica diz. É possível que a decisão faça parte de uma estratégia para diminuir os estragos causados pelo caso. A despeito disso, é bastante provável que a companhia tenha mesmo perdido clientes: é de se esperar que nenhuma organização ou pessoa queira se envolver com um serviço cujo próprio nome serve para descrever um escândalo.

Para validar o pedido de falência, a Cambridge Analytica levou a um tribunal de Nova York documentos que indicam que a companhia tem ativos no país cujas somas podem chegar a US$ 500 mil, mas dívidas na faixa de US$ 1 milhão a US$ 10 milhões. O procedimento tem como base o Capítulo 7 da lei de falências dos Estados Unidos, que trata especificamente de liquidação.

O fechamento de uma empresa não acontece de uma hora para a outra, razão pela qual o processo pode se arrastar por um bom tempo. Mas regulares norte-americanos que lidam com o caso já adiantaram: independente do que for decidido, eles continuarão investigando a Cambridge Analytica.

Com informações: Reuters.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados