Enel usa rede via energia elétrica para medir consumo de 150 mil imóveis em SP

Medidores inteligentes de energia utilizam tecnologia PLC para transmitir dados até concentrador conectado com 4G; clientes poderão medir consumo diário via app

Lucas Braga
Por
Prédio da Enel (Imagem: Divulgação/Enel)

Na maior parte dos lares brasileiros, os relógios de energia elétrica são totalmente desconectados da internet, com aferição do consumo feita de forma presencial por um profissional leiturista. Isso deve ser raro em um futuro não tão distante: a Enel, concessionária que atua na cidade de São Paulo, atingiu a marca de 150 mil medidores inteligentes. Os dados são transmitidos pela própria rede elétrica através da tecnologia PLC.

Os medidores inteligentes instalados fazem parte de um projeto-piloto localizado nos bairros de Perus e Pirituba, zona oeste de São Paulo. A Enel tem a expectativa de encerrar o ano com 300 mil dispositivos. O investimento está avaliado em R$ 227 milhões, e conta com contribuições de recursos de pesquisa e desenvolvimento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Além de dispensar o uso de mão-de-obra presencial para efetuar leituras, o uso de medidores inteligentes permite que a concessionária de energia faça corte ou religação de forma remota e imediata. A Enel também afirma que todos os consumidores com esse equipamento poderão monitorar o consumo diário de eletricidade através de um aplicativo para smartphone.

Medidores usam PLC, mas dependem de rede 4G

Os relógios medidores da Enel utilizam tecnologia PLC, que aproveita os cabos elétricos existentes para transmitir dados. Esse padrão acabou não se popularizando para fornecer serviços de banda larga, mas está presente em alguns equipamentos de rede doméstica.

Os medidores da Enel não estão conectados diretamente à internet. Conforme apurou o Mobile Time, os dados dos relógios são armazenados em um concentrador que armazena as informações. Só depois que o consumo é transmitido para a concessionária, via redes 3G ou 4G de duas diferentes operadoras.

Medidor inteligente utilizado pela Enel para leitura remota
Medidor inteligente utilizado pela Enel para leitura remota (Imagem: Divulgação)

Parece estranho apostar em redes PLC para medição de consumo em relógios de energia, especialmente por se tratar de uma tecnologia pouco difundida. Módulos individuais que habilitam conectividade celular em máquinas estão ficando cada vez mais baratos, e devem ficar popularizar de forma expressiva com a chegada do 5G.

É claro que se o uso de 3G ou 4G individual acarretaria custo para disponibilizar conexões individuais para cada medidor. No entanto, o valor não deve ser expressivo por se tratar de um tráfego de dados muito baixo: na solução PLC, a Enel gasta em média 7,5 GB de internet móvel para transmitir as informações de todos os 300 mil relógios de energia.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Lucas Braga

Lucas Braga

Repórter especializado em telecom

Lucas Braga é analista de sistemas que flerta seriamente com o jornalismo de tecnologia. Com mais de 10 anos de experiência na cobertura de telecomunicações, lida com assuntos que envolvem as principais operadoras do Brasil e entidades regulatórias. Seu gosto por viagens o tornou especialista em acumular milhas aéreas.

Canal Exclusivo

Relacionados