Facebook muda algoritmo para esconder conteúdo sensacionalista e spam

Paulo Higa
Por
• Atualizado há 4 dias

O Facebook anunciou nesta quarta-feira (10) mais uma mudança no algoritmo do feed de notícias. Desta vez, os alvos são os conteúdos enganosos e sensacionalistas, que terão menos espaço na rede social em favor de posts mais informativos. A mudança também afeta os anúncios de má qualidade, que não poderão mais ser promovidos.

É mais um movimento para construir uma “comunidade informada”, um dos objetivos do Facebook que estão no manifesto enorme de Mark Zuckerberg. A rede social diz que está “sempre trabalhando para entender quais publicações são consideradas enganosas, sensacionalistas ou spam, para que possamos mostrar menos desses conteúdos, dando preferência para postagens mais informativas”.

Segundo o Facebook, a mudança vai desincentivar spammers que ganham dinheiro com publicidade quando seus sites são acessados. Páginas que costumam publicar links para conteúdos de baixa qualidade deverão “enfrentar um declínio na audiência”, enquanto as que não fazem isso “podem perceber um pequeno aumento no tráfego”.

A qualidade dos anúncios no Facebook também deve melhorar, já que a empresa está utilizando inteligência artificial para detectar páginas mal intencionadas. O Facebook é bastante criticado por permitir constantemente que lojas falsas anunciem na plataforma, vendendo produtos que nunca chegam e roubando números de cartões de crédito de usuários.

As mudanças entram em vigor a partir de hoje e serão implementadas gradualmente nos próximos meses.

Receba mais sobre Facebook na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Ex-editor executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. No Tecnoblog, atuou como editor-executivo e head de operações entre 2012 e 2023. Viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. Foi coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Canal Exclusivo

Relacionados