LinkedIn vai usar IA para você saber o que escrever no seu perfil

Profissionais vão contar com ajuda de robô para preencher página pessoal, enquanto empresas e recrutadores poderão usar textos gerados automaticamente para anunciar vagas

Giovanni Santa Rosa
Por
• Atualizado há 4 meses
LinkedIn com inteligência artificial
LinkedIn com inteligência artificial (Imagem: Divulgação/LinkedIn)

Mais um dia, mais uma aplicação para a inteligência artificial. Desta vez, é o LinkedIn que vai recorrer à tecnologia para dar sugestões e facilitar o trabalho na hora de preencher sua página ou anunciar que sua empresa está contratando.

As novidades são focadas em dois tipos diferentes de usuários. Para os trabalhadores, a inteligência artificial lê as habilidades e experiências. Com base nisso, ela sugere como completar outros campos.

Como tecnologias desse tipo ainda estão dando seus primeiros passos, a rede social recomenda que os usuários revisem e editem os textos gerados pela IA para “garantir que eles sejam precisos e estejam alinhados com seu estilo e experiência”.

As ferramentas para profissionais começaram a ser testadas nesta quarta-feira (15) e serão distribuídas ao longo dos próximos meses. O recurso é exclusivo para quem assina o LinkedIn Premium, que custa a partir de R$ 67,49 por mês.

Do outro lado do balcão, a inteligência artificial vai ajudar empresas e recrutadores. A tecnologia transforma informações básicas sobre cargos, como nome da empresa e título da função, em descrições de cargos.

Assim como para os profissionais, o LinkedIn pede que o texto fornecido seja revisado e editado. Apesar disso, a promessa é que a ferramenta economize tempo na hora de anunciar processos de contratação.

LinkedIn é mais um produto da Microsoft a receber IA

Esses recursos não chegam a ser uma surpresa — vale lembrar que a Microsoft comprou o LinkedIn em 2016. A empresa é uma das maiores investidoras da OpenAI, criadora do GPT-4 e do ChatGPT, que servem de base para o Bing Chat.

Anteriormente, o LinkedIn já havia anunciado o uso da inteligência artificial para artigos colaborativos. O robô vai gerar propostas a serem discutidas por especialistas na plataforma. A ideia é que ele inicie conversas relevantes na rede social.

Com informações: LinkedIn, The Verge, Engadget.

Receba mais sobre LinkedIn na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados