Pix atinge marca histórica de R$ 53 bilhões em um só dia

Banco Central também registra recorde no número de transações na plataforma e crescimento em chaves cadastradas

Victor Toledo Everton Favretto
Por e
• Atualizado há 8 meses
O Pix é um dos responsáveis pelo declínio do cheque (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Pix (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

As transações por Pix continuam crescendo em popularidade no Brasil. Na última sexta-feira (5), o Banco Central registrou um novo recorde no número de transações feitas com a tecnologia: foram quase 90 milhões de movimentações financeiras realizadas em um único dia. Além disso, os valores liquidados nessa data ultrapassaram a marca histórica de R$ 53,1 bilhões.

Para ser mais preciso, foram realizadas 89.999.414 transações via Pix em apenas 24 horas. Essa é a maior quantidade de movimentações registrada pelo Banco Central desde a estreia do sistema, em 16 de novembro de 2020.

Vale lembrar que o recorde anterior de Pix liquidados em um único dia era de 76.398.122 — alcançado no dia 6 de julho de 2022. Além de registrar a maior quantidade de transações até hoje, o Pix também alcançou sua maior marca em valores movimentados.

Foram cerca de R$ 53.109.294,38 liquidados no dia 5 de agosto. Antes, a maior quantia era de R$ 45.050.652.52, registrada em 6 de junho de 2022.

Em comparação com recordes diários anteriores, o Pix cresceu 15,1% no número de transações e 15,2% em valores liquidados. Esse aumento do uso na plataforma pode ter relação com o dia de pagamento de muitas empresas no país, já que a última sexta-feira também foi o quinto dia útil do mês de agosto.

Pix já tem mais de 478 milhões de chaves cadastradas

Outro número que mostra o crescimento da adesão ao Pix é o de chaves cadastradas. De acordo com dados do Diretório de Identificadores de Contas Transacionais (DICT) já existem mais de 478 milhões de chaves cadastradas na plataforma, sendo que 190 milhões são formadas por chaves aleatórias.

As chaves por CPF vêm na sequência com 108 milhões, seguida por número de celular (100 milhões) e endereço de e-mail (70 milhões) como as mais usadas no país.

Em relação ao mês anterior, houve um aumento de 2% no número de cadastros na plataforma. Os dados são divulgados mensalmente pelo Banco Central.

Com informações: Banco Central.

Relacionados