Pix Automático pode atrasar de novo e chegar só em 2025

Pix Automático deveria ter sido lançado em abril, foi adiado para outubro de 2024, mas está com cronograma de implementação atrasado

Emerson Alecrim
Por
O Pix é um dos responsáveis pelo declínio do cheque (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Pix Automático deve atrasar de novo e chegar só em 2025 (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O Pix Automático deveria ter sido lançado oficialmente em abril de 2024, mas foi adiado para outubro. Porém, o cronograma do Banco Central do Brasil para implementação da modalidade está atrasado. Isso significa que, provavelmente, só teremos acesso a ela no próximo ano.

O que é Pix Automático?

O Pix Automático é uma modalidade que possibilitará pagamentos recorrentes de modo automático, desde que eles sejam autorizados previamente pelo usuário. Trata-se de uma dinâmica que lembra o atual débito automático, que desconta um valor da conta bancária do cidadão mediante autorização prévia.

A expectativa é a de que o Pix Automático seja usado para pagamentos de contas rotineiras, como água, energia, internet e condomínio. A modalidade também poderá ser usada em mensalidades de escolas, academias ou planos de saúde, por exemplo, bem como para serviços financeiros, como empréstimos e consórcios.

Nesse sentido, o Pix Automático poderá ser uma alternativa mais prática tanto ao débito automático quanto ao cartão de crédito.

Os adiamentos do Pix Automático

Em outubro de 2023, o Fórum Pix anunciou o adiamento da disponibilização do Pix Automático de abril para outubro de 2024. Formada pelo Banco Central e instituições financeiras e de pagamento, o Fórum Pix é uma entidade que discute e define as regras do ecossistema do Pix.

Na ocasião, o Fórum Pix explicou que o adiamento de seis meses foi necessário em razão da complexidade do Pix Automático. O Banco Central também revelou existir “questões organizacionais” dentro do órgão, sem dar detalhes adicionais.

De todo modo, o novo cronograma estabeleceu que o arcabouço principal do Pix Automático, contendo regulamento, manual de penalidades e procedimentos operacionais da modalidade, seria publicado em dezembro de 2023. E foi.

Os passos seguintes seriam a publicação de manuais técnicos, em janeiro de 2024, e o desenvolvimento dos sistemas relacionados ao Pix Automático entre janeiro e agosto deste ano. É aqui que os problemas começam.

Pix no aplicativo da Caixa (Imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Pix em aplicativo de banco (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Cronograma atrasado

O jornal O Globo relata que as etapas de desenvolvimento programadas para o período entre janeiro e abril de 2024 até agora não foram concluídas. Isso inclui a publicação dos manuais técnicos, que deveria ter sido feita no primeiro mês do ano.

As razões para isso seriam a operação-padrão dos servidores do Banco Central (encerrada no final de abril após perdurar por dez meses), equipe técnica pequena e limitações orçamentárias.

A operação-padrão foi finalizada, portanto, o ritmo de implementação do Pix Automático pode ser intensificado a partir deste mês de maio. Mas, nos bastidores, o clima é a de que não haverá tempo suficiente para que todas as etapas sejam executadas até 28 de outubro, a data de lançamento da modalidade.

Tudo indica que, para não haver mais atrasos, a equipe técnica e os limites orçamentos teriam que ser aumentados, mas é pouco provável que o Banco Central anuncie essas medidas.

O órgão informou ao O Globo que dará mais detalhes sobre a situação do Pix Automático na próxima reunião do Fórum Pix, ainda sem data marcada. Aliás, essa reunião deveria ter sido realizada em 14 de março, foi adiada para o dia 20 do mesmo mês, mas novamente deixou de ser realizada.

Diante dessa situação, é mesmo pouco provável que o Pix Automático chegue ainda em 2024.

Receba mais sobre Banco Central do Brasil na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados