Serviço pirata 4anime apaga todos os vídeos e sugere “apoiar a indústria”

Comunicado foi publicado na segunda-feira (12) e pode estar relacionado a uma intimação emitida por um tribunal federal nos EUA

Ana Marques
Por
• Atualizado há 2 anos e 6 meses
Tokyo Ghoul era um dos animes exibidos no 4anime
Tokyo Ghoul era um dos animes exibidos no 4anime (Imagem: Reprodução)

O 4anime, um dos maiores sites de streaming pirata da categoria, anunciou que irá encerrar suas atividades e deletar todos os seus vídeos. A decisão foi comunicada de forma repentina e sem muitas explicações na segunda-feira (12), e teria sido tomada após uma intimação recebida de um tribunal federal nos Estados Unidos.

A plataforma chegou ao patamar de milhões de visitantes mensais, e abrigou quem ficou “órfão” de serviços apreendidos pela coalizão anti-pirataria Alliance for Creativity in Entertainment (ACE) no último ano. Entretanto, a fama também serviu para colocar o 4anime na mira das entidades protetoras de direitos autorais.

O site chegou a figurar ao lado de outros players em uma aplicativo de bloqueio de sites na Austrália, o que não chegou a interromper o funcionamento do serviço.

4anime foi intimado por tribunal federal nos EUA

O comunicado sobre o fim do 4anime pode ser acessado quando os usuários tentam acessar o site. O domínio é redirecionado para uma página que contém apenas a seguinte mensagem:

“Desculpe por terminar as coisas dessa maneira. Devido a certas circunstâncias, temos que fechar o site. Todos os favoritos estarão disponíveis por meio de login na próxima semana ou duas, então não se preocupe.

No entanto, todos os vídeos e conteúdo foram excluídos e encorajamos você a apoiar a indústria visualizando alternativas legais ou algo assim.”

O “algo assim” inspira um certo sarcasmo, possivelmente relacionado a uma pressão da Justiça por trás do comunicado e fechamento inesperado. Entretanto, nenhuma informação oficial sobre o motivo foi revelada.

Como reporta o TorrentFreak, o 4anime recebeu uma intimação de um tribunal federal em Michigan, emitida em 5 de julho, exigindo que a Cloudflare entregasse as informações pessoais dos operadores por trás do site de pirataria.

Dados como nomes, endereços, e-mail e IPs deveriam ser enviados aos demandantes, o “Legacy Rights Group”, que tem sede nos EUA, até o dia 26 de julho — não se sabe, porém, se a empresa já respondeu à solicitação.

Com informações: TorrentFreak.

Relacionados