Site com lista de IPTV pirata é condenado em US$ 15,8 milhões

IPTV pirata CBC X-View é condenado a pagar Dish por violar 21 mil contas legítimas do streaming da operadora de TV paga

Lucas Braga
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
TV Box apreendida. Foto: Receita Federal/Divulgação
TV Box apreendida em setembro (Imagem: Divulgação/Receita Federal)

Um provedor de IPTV pirata que fornecia listas com canais de TV por assinatura pela internet foi condenado a pagar US$ 15,8 milhões para a operadora Dish, que atua com serviço de TV via satélite e o IPTV legítimo Sling nos Estados Unidos. O serviço ilegal contava com cerca de 130 canais e atendia até mesmo hotéis em Belize.

O serviço de IPTV em questão era o CBC X-View. O dono do produto, Robert Reich, se diz residente da Flórida e mantinha outras marcas como CBC e CBC Cable. Ele foi acusado por utilizar contas de usuários oficiais da Dish e Sling TV para retransmitir a programação dos canais pela internet, sem licenciamento para isso.

Não se tratava de um serviço IPTV barato: Reich vendia os acessos piratas com custo mensal de US$ 60, além da taxa de instalação de US$ 55. A adesão podia ser feita por telefone, internet, Facebook e WhatsApp.

O processo corre na justiça americana desde janeiro de 2020. Em abril, Reich recebeu uma ordem de restrição e em maio teve seus bens congelados. A condenação de US$ 15,8 milhões representa a violação de mais de 21,1 mil contas da Dish e Sling TV.

Hotel de Belize utilizava IPTV pirata

O serviço CBC X-View era utilizado até mesmo em hotéis de grandes redes, incluindo o Radisson Fort George localizado em Belize. A Dish não atua nesse país, e as TVs do hotel mostravam algumas mensagens de erro do serviço da operadora.

Além de pagar a multa, Robert Reich recebeu uma proibição permanente para retransmitir ou operar serviços de IPTV.

Empresas de IPTV pirata também são alvos no Brasil

No Brasil, a pirataria também é alvo de operações: o Ministério da Justiça desligou uma rede de 300 provedores IPTV que atendiam mais de 26 milhões de pessoas. Na ocasião, a Aliança Contra a Pirataria da TV por Assinatura (Alianza) informou que um único site tinha faturamento anual de US$ 18 milhões com seus 727 mil usuários.

Além do desligamento de provedores de pirataria, a Receita Federal também fez operações de busca e apreensão de TV Box não homologadas pela Anatel e com aplicativo de IPTV embarcado. Entre julho e setembro de 2020, o órgão confiscou mais de 240 mil equipamentos ilegais e destruiu outros 7 mil aparelhos que foram apreendidos em Ponta Porã (MS), divisa com o Paraguai.

Com informações: TorrentFreak, TechNadu

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Lucas Braga

Lucas Braga

Repórter especializado em telecom

Lucas Braga é analista de sistemas que flerta seriamente com o jornalismo de tecnologia. Com mais de 10 anos de experiência na cobertura de telecomunicações, lida com assuntos que envolvem as principais operadoras do Brasil e entidades regulatórias. Seu gosto por viagens o tornou especialista em acumular milhas aéreas.

Canal Exclusivo

Relacionados