Quanto o Spotify paga aos artistas? Existe valor fixo por reprodução?

Entenda de onde vem o dinheiro do Spotify, como funcionam os pagamentos da plataforma e como é quantificado o valor das reproduções

Paula Alves
Por

Diferente do que muitos pensam, o Spotify não possui um valor fixo por reprodução, de modo que não há um valor tabelado para cada vez que a música de um determinado artista é tocada. O que acontece, na verdade, é um cálculo mensal feito pela plataforma – e que leva em conta o desempenho do artista e do próprio Spotify – para que os profissionais possam receber por seus streams. Abaixo, explicamos em detalhes como funciona esse cálculo, o valor médio de cada reprodução e o processo de pagamento do serviço.

Quanto o Spotify paga aos artistas? Existe valor fixo por reprodução? / Guilherme Reis
Quanto o Spotify paga aos artistas (Imagem: Vitor Pádua)

Quanto o Spotify paga por stream

O valor do stream do Spotify e quanto cada artista recebe pela sua performance na plataforma é um tema que de tempos em tempos sempre volta à tona. Especialmente porque o serviço não estabelece um valor fixo por reprodução, alegando não fazer sentido existir uma taxa por stream, já que os próprios ouvintes não pagam por cada música que escutam.

Em contrapartida, o valor pago a cada profissional também não é fixo, já que varia conforme o seu desempenho mensal na plataforma, tornando imprescindível que exista alguma métrica usada para que eles possam ser bonificados.

No caso do Spotify, essa métrica inevitavelmente se baseia no próprio stream, que mesmo não tendo um valor tabelado, acaba sendo quantificado mensalmente por meio de um cálculo que leva em conta a receita líquida gerada naquele mês pelo serviço.

Segundo dados do Trichordist de 2019, o Spotify pagava em média US$ 0,00348 por stream* naquele ano, o que fazia com que uma música precisasse ser tocada quase 290 vezes para que a empresa dona dos seus direitos ganhasse 1 dólar. Um valor que pode causar surpresa quando levamos em conta o preço pago por outras plataformas no mesmo período, mas que para o serviço significava um aumento após anos seguidos de queda, como mostra a tabela abaixo, em dados revelados pelo próprio Trichordist.

AnoPreço (US$)
2014US$ 0,00521
2016US$ 0,00437
2017US$ 0,00397
2018US$ 0,00331
2019US$ 0,00348

Além dessas variações anuais, é importante também entender que esses números podem diferir em cada um dos países em que o Spotify opera, já que seu cálculo é feito dividindo o tamanho total do fundo de royalties da plataforma (⅔ do faturamento mensal do Spotify naquele mercado) pela quantidade de reproduções de músicas no mês.

É por meio dessa conta que se chega ao “valor do stream”, métrica básica utilizada para posteriormente o Spotify calcular quanto deve pagar aos artistas.

*Os dados são relacionados a uma gravadora de porte médio, com pelo menos 350 discos nos serviços de streaming, gerando cerca de 1,5 bilhão de reproduções anualmente.

Spotify no iOS (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Spotify no iOS (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Quanto é pago aos detentores [cotas de streaming]

Com o valor médio do stream já estimado fica mais fácil agora calcular quando o Spotify paga para cada artista. Ou melhor dizendo, para cada detentora de serviço, já que todos os royalties da plataforma (valor pago para se usar e comercializar uma música) são, na verdade, recebidos pelos detentores de direito da canção.

Os detentores de direito são as empresas que têm o direito de comercialização da música, podendo ir de gravadoras e distribuidoras, quando estamos lidando com royalties de gravação, até editoras, sociedades de gestão e agências, quando estamos falando de royalties de composição. Em qualquer um desses casos, a empresa possui seu próprio contrato com o artista, com cláusulas específicas que incluem o quanto ele vai levar para casa devido ao seu desempenho no Spotify.

Isso quer dizer que podemos saber como e quanto o Spotify paga em royalties aos detentores de direito, mas, em contrapartida, não temos como saber o valor final que cada profissional recebe dessas empresas.

Escritório do Spotify em Estocolmo, na Suécia (Imagem: Divulgação/Spotify)
Escritório do Spotify em Estocolmo, na Suécia (Imagem: Divulgação/Spotify)

Mas como o Spotify sabe quanto pagar a cada detentora?

Para se chegar a esse valor final de pagamento, a plataforma divide a quantidade de streams que a detentora obteve durante aquele mês pela quantidade total de reproduções da plataforma, calculando assim a porção do todo que pertence àquela empresa.

É com base nesse cálculo que todas as detentoras que trabalham com o Spotify são pagas mensalmente e, em seguida, pagam os seus artistas seguindo as datas e valores estipulados em contrato.

De onde vem o dinheiro do serviço

Atualmente, o Spotify ganha dinheiro vindo de duas frentes: a primeira são as suas assinaturas do Plano Premium, que no Brasil, desde abril de 2021, saem pelo valor de R$ 19,90/mês em sua versão mais básica (antes o valor era de R$ 16,90/mês). Já a segunda são os anúncios veiculados em seu Plano Free, que em 2021 tiveram um aumento de 75% em relação ao ano anterior.

Duas receitas que somadas geram o valor total obtido pela plataforma e que, por sua vez, é separado em ⅔ para pagar royalties e ⅓ para o próprio Spotify.

É exatamente por serem essas as fontes de renda da plataforma que em cada país o valor do stream do Spotify pode ter uma média diferente, já que a assinatura do serviço muda em cada um deles, sendo condizente aos valores competitivos de mercado.

A tabela abaixo possui dados coletados pelo site Music Business Worldwide em 2018 e mostra como, já nessa época, o Spotify operava com preços diferentes ao redor do mundo.

PaísValor convertido em euro (€)Preço mensal do Spotify no paísValor convertido em dólar (US$)
Filipinas€ 2,07129 pesos filipinosUS$ 2,42
Indonésia€ 2,9449,990 rúpias indonésiasUS$ 3,44
Brasil€ 3,9216.99 reaisUS$ 4,49
Tailândia€ 3,31129 bahtsUS$ 3,89
México€ 4,48100 pesos mexicanosUS$ 5,26
Malásia€ 5,2424.99 ringgits malaiosUS$ 6,15
Japão€ 7,50980 ieneUS$ 8,80
Austrália€ 7,5911.99 dólares australianosUS$ 8,90
EUA€ 8,528.52 dólares americanosUS$ 9,99
Suécia€ 9,5399 coroas suecasUS$ 11,18
França€ 9,9911.72 eurosUS$ 11,72
Reino Unido€ 11,139.99 libras esterlinasUS$ 13,12

Em 2021, assim como aconteceu no Brasil, o Spotify subiu seus valores do Plano Premium (que além da modalidade individual, possui ainda a duo, familiar e a universitário) em diversos lugares do mundo.

Em países da Europa, por exemplo, os aumentos variaram entre € 1 e € 3, enquanto os EUA sofreram uma alteração apenas no seu valor do plano familiar, indo de US$ 14,99, para US$ 15,99.

Com informações: Spotify Artists, Loud and Clear, The Trichordist, Music Business Worldwide e Android Police

Paula Alves

Repórter

Paula Alves é jornalista especialista em streamings e cultura pop. Formada pela Unesp (Universidade Estadual Paulista), antes do Tecnoblog, trabalhou por sete anos com jornalismo impresso na Editora Alto Astral. No digital, escreveu sobre games e comportamento para a Todateen e sobre cinema e TV para o Critical Hits. Apaixonada por moda, já foi assistente de produção do SPFW.

Relacionados

Relacionados