Início / TB Responde / Negócios /

Quanto um artista ganha pelo streaming no Spotify, Apple Music e outros

Já se perguntou quanto ganha um artista no Spotify, Apple Music, Deezer e outros serviços de streaming? Deixa eu te mostrar

Felipe Ventura

Por

TB Responde
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Qual dos serviços melhor pagam pelo streaming de música? O site The Trichordist faz levantamentos dos valores pagos por várias plataformas desde 2014 e qual dos serviços é o maior responsável pela transmissão das músicas pela internet. Veja quanto um artista ganha pelo streaming no Spotify, Apple Music, Amazon Music, Deezer, YouTube e outras empresas.

StockSnap / Android / Spotify / Pixabay / quanto um artista ganha no spotify e outros serviços de streaming

Quanto um artista ganha no Spotify, Apple Music e outros

De acordo com o The Trichordist, os dados abaixo são válidos para o ano de 2019, relacionados a uma gravadora de porte médio, com pelo menos 350 discos nos serviços de streaming, gerando cerca de 1,5 bilhão de reproduções anualmente.

Serviço de streamingValor pago por reprodução (em dólar)
Spotify0,00348
Apple Music0,00675
YouTube Content ID0,00022
Amazon Music Unlimited0,01123
Deezer0,00562
Google Play0,00554
Pandora0,00203
TIDAL0,00876

De acordo com o site, o streaming é a principal fonte de renda para gravadoras. E nesse mercado, quem ainda domina é o Spotify, com 44,33% do total da receita gerada e 22,09% do market share de streamings. O YouTube Content ID, apesar de representar 51% de todas as reproduções, é responsável por apenas 6,4% da receita desse mercado.

Apple Music é o segundo colocado no ranking de 2019, no quesito receita. O serviço detém 24,79% dos ganhos com streaming, mas representa apenas 6,36 de toda a reprodução via internet. Tem participação bem menor que o YouTube Content ID, mas gera mais lucro às gravadoras.

O Trichordist explica que seus números vêm de um conjunto de dados fornecidos confidencialmente. As informações acima correspondem ao mercado de streaming global no ano de 2019.

Os valores não consideram as taxas de distribuição. Nos casos em que existem vários níveis e estruturas de preços (como o Spotify), todos são somados e divididos para criar um valor médio único por reprodução.

Colaborou: Lucas Lima.