Aposto que a maioria dos leitores do Tecnoblog presenciou, mesmo que superficialmente, a era dos 8 bits dos videogames. Alguns não sentem falta desse tempo, mas grande parte dos gamers acredita que essa foi a era dourada dos consoles. Se você se encaixa no segundo grupo, tem motivos de sobra para se animar: um estúdio indie brasileiro está lançando Oniken, um jogo 8 bits com todo o desafio e charme que você poderia esperar de um jogo clássico do NES.

Oniken é um jogo de ação em plataforma, construído como um jogo para um sistema de 8 bits. Tudo que você pode esperar é uma jogabilidade baseada nos jogos que fundaram o que conhecemos como videogames hoje em dia, junto á um turbilhão de referências aos clássicos. Confira no trailer de lançamento do jogo.


(Vídeo do YouTube

Logo de início você vai sentir aquele frio na espinha, com uma história contada através das cutscenes clássicas que costumávamos encontrar uns vinte anos atrás — e admito, eu tinha menos de dez anos de existência. O cenário pós-apocalíptico sci-fi da primeira cena já demonstra que o mundo todo está ameaçado e somente uma pessoa é capaz de fazer algo para impedir: Zaku.

Os inimigos tremem ao ouvir seu nome.

Se a apresentação do jogo impressiona, as coisas conseguem melhorar quando o jogo começa. Os controles têm respostas instantâneas, como era de se esperar de clássicos como Ninja Gaiden e Megaman. Os controles são rápidos por uma razão muito simples: o jogo cobra toda a destreza de quem estiver no controle de Zaku. Fazia tempos que eu não utilizava meu vocabulário chulo com um jogo, mas Oniken me fez desenterrar todos os xingamentos que eu já aprendi na vida. Em muitos momentos você se pegará pensando: “O level designer desse jogo não tem coração!”. E eu acredito que não, mesmo.

O pôr do sol em 8 bits é cenário para uma das batalhas épicas do game

Os gráficos em 8 bits tem poucas cores, mas são muito bem detalhados, com ótimas animações e cenários muito bonitos. Cada batalha contra os chefes será um treino de memória e agilidade, cobrando toda a habilidade que você adquiriu durante o nível. Aguarde inimigos gigantescos no final das fases, no melhor estilo Contra. A história contada entre os níveis desvenda uma trama mais complexa do que se espera ao início, intrigando o jogador. Se conseguir passar os níveis, você vai se surpreender.

O jogo foi desenvolvido pelos brasileiros Danilo Dias e Pedro Paiva. Será lançado dia 22 desse mês pelo estúdio Joymasher. O jogo já está disponível para Windows em pré-venda no Desura pela bagatela de US$4,99 – um pouquinho mais de 10 reais – e você poderá conquistar um espaço no ranking on-line com os melhores jogadores.

Mais uma vez, desenvolvedores brasileiros demonstram que temos muito talento na nossa terra.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Turdin
Se portarem para Windows Phone com certeza compro!
YanGM
Fala isso pros devs do jogo também, seu brasileiro.
@adrikei
Sem contar que a gente tá acostumado a ver esses jogos em inglês, se fosse em português iria ser muito, muito estranho! Quem já jogou o jogo da Turma da Mônica pra Mega Driver, por exemplo, sabe.
Eduardo
Faz a mala e vai embora. De preferência pra um lugar melhor, tipo o Paraguai.
@gley
Ninja Gaiden 3 feelings. Se sair versão para iOS (ou pelo menos para PSP) eu compro na hora. Aliás, será que existem planos para incluir no Steam também?
Forbidden_404
Tô falando do interface como fica, não é pela dificuldade, mas pela qualidade
Dennis
O PlayOnLinux torna o processo bem mais amigável.
Rezembrim
Deve dar pra emular fácil no Wine, mas não tenho muita paciência pra gastar procurando por uma versão que rode liso. No mais, se o Desura tem uma versão pra Linux, tem mais é que fazer o jogo pra Linux também, então eu espero...
YanGM
Eles tem vergonha do nosso país assim como eu. Legal.
Cristiano Titan
Puts, bacana a iniciativa mas achei o cenário meio parecido com Shinobi III do Mega Drive. (Opinião pessoal)
Forbidden_404
Olha, emular um jogo assim até que é fácil, mas só de ter que usar um Wine, já me dá uma ânsia de vômito D:
Amaury
Boa Felipe!!! Falo tudo!!!!
Felipe
Pensei a mesma coisa: porque o jogo está todo em inglês? E acho que a resposta é exatamente a do Amaury, pelo fato do inglês ser muito mais popular que qualquer outra língua. Porém, acho que se a cultura do Brasil fosse de "pagar por bom conteúdo" ao invés de "procurando desesperadamente por cracks e coisas do gênero", os desenvolvedores se orgulhariam de colocar o PT-BR como idioma oficial e a opção de mudar para inglês.
Amaury
Meio obvio o pq de estar em ingles, visto que é a segunda lingua que quase todos no mundo são obrigados a aprender. E tmb devido ao fato que o mercado de games nos EUA gera melhor receita pois no Brasil quando algo é lançado a primeira pergunta de alguns é se tem desbloqueio ou no caso de jogos para pc, onde vc achou ele com "crack". Poucas empresas tem a oportunidade de fazer o que a blizzard fez com diablo, o que é uma pena pois se vendem a 99 reais um jogo no Brasil, está caro, se custa 10 reais tmb, logo vai aparecer alguem comentando que quer esse jogo free pois 10 reais é caro para um jogo sem um grande estudio envolvido. O Ingles é necessário para quem quer gerar renda com um jogo, queira você entenda ou não, está visão é mais comercial que pratica.
Andrews
nao entendo se é brasileiro por que esta em ingles? ou tem suportes a mult-linguagem?
Exibir mais comentários