Início » Jogos » Entrevista: diretor de Batman Arkham Origins fala de vilões que foram cortados, mas "estão" no jogo

Entrevista: diretor de Batman Arkham Origins fala de vilões que foram cortados, mas "estão" no jogo

Qual seria a graça da vida sem easter eggs, não é mesmo?

Avatar Por
6 anos atrás

Talvez você já tenha começado a jogar Batman Arkham Origins, que foi lançado hoje; talvez ainda não tenha tido esta oportunidade. Em todo caso, hoje na BGS bati um papo com Eric Holmes, diretor criativo do game, sobre o jogo, a franquia e algumas surpresas que a equipe escondeu nele.

Ah: alguns spoilers leves adiante; não devem comprometer a história, mas não custa avisar.

Sobre a evolução do Batman

Em Arkham Origins, voltamos para o começo da carreira do Homem-Morcego como um combatente do crime em Gotham City. Por isso, ele é mais ingênuo e com menos feeling para o crime do que nos outros jogos, que se passam depois na cronologia.

Holmes falou que, mesmo sem ser baseado em nenhum arco das HQs do Batman, o jogo se relaciona, de certa forma, com Legends Of The Dark Knight. Ela mostra como Bruce Wayne se transformou no Batman e essa foi uma inspiração para criar o personagem de Arkham Origins, no sentido de olhar para trás e entender o que fez com que ele se tornasse quem se tornou.

É essa a evolução pela qual os jogadores passam pelas cerca de quinze horas do jogo: o Batman do começo é bem diferente do visto no fim - e, obviamente, também diferente do Batman de City e Asylum.

Aliás, é difícil bater o martelo na duração do game: como é um mundo aberto, há várias coisas a se fazer além da história principal e depende de cada jogador ficar ali por quanto tempo achar conveniente.

bgs 2013 18

Sobre os vilões

Holmes contou que há vários easter eggs no jogo relacionados a personagens que iriam fazer parte do "elenco", mas que tiveram de ser cortados. "Se você olhar pelo escritório do Máscara Negra, acho que há algo ali. Pedi por isso, mas não sei se a arte colocou", observa. "Há três arquivos lá com os nomes de assassinos que estão riscados; eles foram nomes que cogitamos, mas não pudemos acrescentar". O diretor adiantou um deles: David Cain, que é mais conhecido por quem é fã dos quadrinhos.

Um que passou pela peneira é o hacker chamado Enigma - quem lê os quadrinhos ou se lembra do filme Batman Eternamente entendeu que estamos falando do cara que, mais tarde, se torna o Charada. Em Arkham Origins, ele intercepta comunicações e utiliza as informações para chantagear pessoas influentes de Gotham, ameaçando revelar esquemas pesados de corrupção e outras sujeiras.

Os troféus espalhados no mapa pelo Charada nos dois jogos anteriores não estão presentes da mesma forma neste, mas há algo do tipo. E todo o envolvimento do Batman com Enigma se torna uma side quest bem interessante, já que o Batman tem acesso às gravações e acaba ficando sabendo de tudo que está acontecendo na cidade. No entanto, se envolver com isso é opcional.

E, para quem quer ter notícias da Harley Quinn, "há algo para vocês, mas terão que jogar para saber" - entendam como quiserem.

batman-arkham-origins

Sobre a (mesma) mecânica de combate

Pela demo que vimos e jogamos, a mecânica de combate de Arkham Origins se mantém a mesma dos outros jogos. Em vez de adicionar novos movimentos ou gadgets aos já vários do Batman, o que acabaria tornando tudo mais complicado para, no fim, nem todos serem utilizadas por todos os jogadores, fez mais sentido colocar mais gente para brigar. Assim, cada jogador pode pensar nas maneiras de enfrentar os inimigos e decidir como lidar com eles, mas nada é "desperdiçado".

Além dos já apresentados armored enforcer e especialista em artes marciais, há os que utilizam venom, a substância que deixa os inimigos do Batman mais resistentes e fortes vista nos outros jogos em alguns momentos de tensão e rage quit. "Quem jogar Arkham City [depois de Origins] vai sentir falta dos novos inimigos, são uma das principais melhorias no jogo em termos de ação", garante Holmes.

E, se você suspeitava que o Batman no começo da carreira fosse meio desajeitado nas batalhas e ganhasse experiência ao longo do jogo, pode esquecer: ele sabe lutar tão bem quanto nos que aparece mais velho.

Sobre os próximos Arkham - ou se haverá

Nenhuma informação, nem de um próximo título do Batman, nem mesmo de outros personagens que possam sofrer a mesma regeneração nos games que o Cavaleiro das Trevas sofreu com a trilogia Arkham. Pudera: Arkham Origins acabou de chegar às lojas, junto com Arkham Origins Blackgate para consoles portáteis e o Arkham Origins de luta para iOS que foi lançado no dia 17.