Início » Computador » Style S50: o notebook ultraleve da Samsung

Style S50: o notebook ultraleve da Samsung

Custando 7 mil reais, Style S50 tem bom conjunto de hardware e pesa apenas 860 gramas

Paulo Higa Por
Nota Final 8.8

Não tem jeito: você pode até conseguir um hardware potente gastando pouco, mas se quiser um notebook leve, com acabamento bom e tela de qualidade, precisará desembolsar mais dinheiro. O Style S50 é a resposta da Samsung para atender a um segmento mais alto, com peso de 860 gramas e corpo de liga de magnésio, sem deixar o processamento de lado.

Custando 7 mil reais no varejo, ele quer competir diretamente com laptops como o MacBook, o Dell XPS 13 e o Lenovo Yoga 900. Será que consegue? Depois de uma semana com o Style S50 como meu notebook principal, conto minhas impressões nos próximos parágrafos.

Design e tela

samsung-style-s50-2

Se o peso de 860 gramas já impressiona no papel, isso é ainda mais sentido na prática. O Style S50 é uma máquina absurdamente leve, mesmo para quem lida diariamente com outros laptops finos; tenho um MacBook Air de 13 polegadas que carrego para todo lado e pesa 1,35 kg. A carcaça do Style S50 é construída com magnésio, mesma liga de metal utilizada no Surface Book e outros produtos caros da Samsung, como o antigo Série 9.

Mesmo sendo bem leve, o Style S50 traz o que espero de um notebook ultrafino caro: teclado retroiluminado, trackpad de tamanho generoso e tela de boa qualidade. O painel LCD de 13,3 polegadas tem resolução de 1920×1080 pixels, boas cores e um nível de preto que agrada. O forte brilho chama bastante a atenção, e o ângulo de visão, que foi criticado em notebooks passados da Samsung, é irrepreensível no Style S50.

samsung-style-s50-5

O visor gira 180 graus, mas isso é mais um detalhe estético do que algo útil; laptops como o Lenovo Yoga 900 são mais funcionais por dobrarem totalmente e virarem tablets. No Style S50, a tela não é sensível ao toque, então o notebook da Samsung é apenas um notebook. Ainda assim, os sul-coreanos incluíram uma função de software que permite deixar a tela de ponta-cabeça, o que permite apresentar um documento para uma pessoa que está sentada à sua frente, por exemplo. Mas talvez seja melhor simplesmente virar o notebook ou pedir que ela fique ao seu lado, como sempre fizemos.

samsung-style-s50-6

Nas conexões laterais, apenas o essencial. Do lado esquerdo, um conector de energia, uma porta USB 3.0, um Micro HDMI e uma conexão proprietária da Samsung, que funciona com um adaptador de Ethernet (incluso). Do outro lado, outra porta USB 3.0, uma entrada para fones de ouvido e uma saída para adaptador de VGA (não incluso), além do útil leitor de cartões de memória, escondido atrás de uma portinha.

Teclado e trackpad

O teclado do Style S50 no padrão americano pode exigir um tempo de adaptação para quem está acostumado com o layout brasileiro, mas é uma característica que me agrada muito, especialmente pelo fato de não adotar a terrível solução de colocar os botões ? e / no Q e W — os programadores podem comemorar a existência da tecla dedicada para esses caracteres. A Samsung diz que, por ser um produto de nicho, não compensaria adaptar o teclado para o ABNT2.

samsung-style-s50-3

As teclas são um pouquinho barulhentas para o meu gosto, mas não devem incomodar quem está do lado. Um detalhe curioso é que a retroiluminação, ligada automaticamente de acordo com a luz ambiente, é num tom meio esverdeado/azulado bem peculiar. E as teclas Fn Lock e Caps Lock possuem um discreto LED que indica se elas estão acionadas.

Não faz muito tempo que as fabricantes de notebooks com Windows estão incluindo trackpads realmente decentes, com gestos multitouch que funcionam de verdade e com precisão suficiente para abandonarmos um mouse — e o Style S50 fica dentro das expectativas. O trackpad do Style S50 é de boa qualidade, possui um tamanho grande e uma textura que permite um bom deslizar dos dedos; tive algumas falhas de ponteiros “travando” na tela, mas foram bem pontuais.

samsung-style-s50-4

Software

O Style S50 roda Windows 10 Home, um sistema operacional que você provavelmente já conhece bem. Mas é claro que ele não traz apenas o Windows 10: junto vem alguns softwares de utilidade questionável, incluindo um trial de antivírus que insiste em aparecer na tela sempre que instalo uma extensão para Chrome.

samsung-style-s50-8

Mas antes de zerar o SSD do Style S50 e fazer uma instalação limpa do Windows, vale a pena dar uma olhada no Samsung Settings, um aplicativo que reúne os diferenciais de software da fabricante. Alguns talvez façam pouco sentido, como o Tela Secreta, que aplica uma transparência à janela atual para torná-la ilegível para olhares curiosos (talvez você já faça isso simplesmente diminuindo o brilho), mas alguns são bem bacanas.

Na seção Rede, por exemplo, o Samsung Settings mostra uma lista das redes Wi-Fi mais próximas com informações bem detalhadas — dá para olhar, numa tacada só, qual ponto de acesso tem segurança melhor, velocidade maior e sinal mais forte. Em Tela, é possível escolher o esquema de cores apropriado para cada ocasião; o Automático deve servir bem, mas você pode escolher tons mais vibrantes, mais realistas ou um modo de leitura, que filtra a luz azul para dar um descanso aos olhos.

style-s50-software-1

style-s50-software-2

style-s50-software-3

Ele também ajuda a aumentar a vida útil da bateria, com o recurso Battery Life Extender, bem comum em notebooks de outras fabricantes: quando ativada, a função limita a carga da bateria em 85%, em vez de tentar sempre enchê-la, o que geraria maior desgaste. Também há um ECO Mode, que ativa imediatamente o modo de economia de energia e mostra em tempo real o consumo em watts do computador.

Hardware e bateria

Com processador dual-core Core i7–6500U (Skylake), 8 GB de RAM e armazenamento em flash de 256 GB, o Style S50 fica dentro do que os melhores notebooks ultrafinos oferecem: um desempenho muito bom para o uso diário, mas medíocre para jogos ou tarefas que exijam processamento intenso, como edição de vídeo.

samsung-style-s50-7

Na minha semana de testes, o Style S50 não apresentou nenhuma lentidão em tarefas cotidianas. Constantemente mantive mais de dez abas no Chrome e Edge, um Photoshop sendo acionado a todo momento, além do Spotify, Slack, Todoist e Evernote, sem nenhum sinal de engasgo.

Em jogos, a GPU Intel HD Graphics 520 não serve para muita coisa. GRID 2, um jogo de corrida de 2013, só roda de maneira satisfatória com gráficos no médio, antialiasing desabilitado e 1280×720 pixels, quando a média fica em 44,6 quadros por segundo, sem engasgar em cenas mais elaboradas. BioShock Infinite, com gráficos no médio e mesma resolução, apresentou média de 32,3 fps no benchmark padrão (mínimo de 13,9 fps).

A bateria também não enche os olhos. Embora a Samsung divulgue uma duração de até 10 horas, na prática eu consegui apenas algo entre 4h30min e 5h30min de autonomia, o que é apenas satisfatório para um notebook com processador econômico. No teste, mantive o brilho da tela em 60%, backlight do teclado ligado e cinco abas no Microsoft Edge. Um MacBook Air de 13 polegadas, nas mesmas condições (mas com Safari), consegue em torno de 7 ou 8 horas de autonomia, pela minha experiência.

Conclusão

samsung-style-s50-9

O Style S50 não é para todo mundo. Na verdade, ele não é para a maioria das pessoas, já que pouquíssimos veem valor num laptop de 7 mil reais sem placa de vídeo potente e com processador de baixo consumo de energia. Ainda assim, o notebook da Samsung atende muito bem ao mesmo público que compraria os computadores caros de outras fabricantes.

Eu tenho um pouco de vergonha em dizer que o preço do Style S50 é, na verdade, um bom atrativo em relação aos concorrentes, que custam entre 8 e 11 mil reais, como o Dell XPS 13 e o Lenovo Yoga 900. E um dos motivos para essas máquinas serem mais caras é a presença do touchscreen, que não existe no Style S50 e que, sinceramente, não fez nenhuma falta: na prática, a utilização dos comandos de toque sempre foi muito baixa nos notebooks com Windows 8 ou 10 que testei.

A Samsung acertou ao colocar um bom conjunto de hardware, com teclado, trackpad, tela e acabamento acima da média. Talvez o único grande ponto negativo seja a bateria, que foi claramente sacrificada para tornar o produto mais leve e fino que os concorrentes. É um bom notebook para quem tem dinheiro para gastar e carrega a máquina para todo lado — mas não tem tanta dificuldade para encontrar uma tomada.

Style S50

Prós

  • Absurdamente leve
  • Teclado retroiluminado e trackpad de boa qualidade
  • Tela com alto brilho e ótima definição

Contras

  • Bateria poderia ter autonomia maior
Nota Final 8.8
Design
10
Tela
10
Teclado
Touchpad
9
Desempenho
8
Bateria
7
Software

Especificações técnicas

  • Armazenamento: SSD de 256 GB;
  • Bateria: até 10 horas de duração;
  • Câmera frontal: 720p;
  • Conectividade: Wi-Fi 802.11ac e Bluetooth 4.1;
  • Dimensões: 31,4 x 21,9 x 1,34 cm;
  • Memória RAM: 8 GB LPDDR3 de 1.866 MHz;
  • Peso: 860 gramas;
  • Portas: Micro HDMI, Mini Ethernet, Mini VGA, 2 USB 3.0, leitor de microSD, fone de ouvido e energia;
  • Processador: dual-core Intel Core i7–6500U de 2,5 GHz;
  • Teclado: US International;
  • Tela: LCD de 13,3 polegadas com resolução de 1920×1080 pixels.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André Cruz de Aguiar
A diferença é o peso extraleve, que faz muita diferença para carregar no dia a dia.
André Cruz de Aguiar
Ainda não encontrei o S51 no varejo. Além de caro e sem teclado ABNT, é difícil de encontrar, ou seja, uma porcaria.
Rafael Moreira

Exatamente. Dell deixou de produzir notebooks com qualidade a muito tempo. Só vejo reclamações de usuários.

Rafael Moreira
Exatamente. Dell deixou de produzir notebooks com qualidade a muito tempo. Só vejo reclamações de usuários.
Rafael Moreira

Tenho vários amigos que adquiriu um Dell, e precisou de receber varias visitas técnicas em casa para solucionar problemas principalmente com disco rígido e placa mãe. A maioria dos notebooks Dell, vem com resolução porca HD de 1366x768. Tinha que ser no minimo resolução Full HD nos dias de hoje. A linha top da Dell era Vostro e Latitude. Atualmente só comete cagada desenvolvendo produtos de baixa qualidade. Essa é a minha opinião. Compensa muito mais comprar um macbook usado nos dias de hoje. Um modelo de 2013 já tem resolução QHD, além do sistema ser super leve. Diferente do Windows que vem uma cachoeira de serviços em segundo plano. Pra mim Windows só desktop mesmo. Essa é a minha opinião..

Rafael Moreira
Tenho vários amigos que adquiriu um Dell, e precisou de receber varias visitas técnicas em casa para solucionar problemas principalmente com disco rígido e placa mãe. A maioria dos notebooks Dell, vem com resolução porca HD de 1366x768. Tinha que ser no minimo resolução Full HD nos dias de hoje. A linha top da Dell era Vostro e Latitude. Atualmente só comete cagada desenvolvendo produtos de baixa qualidade. Essa é a minha opinião. Compensa muito mais comprar um macbook usado nos dias de hoje. Um modelo de 2013 já tem resolução QHD, além do sistema ser super leve. Diferente do Windows que vem uma cachoeira de serviços em segundo plano. Pra mim Windows só desktop mesmo. Essa é a minha opinião..
Rafael Moreira

Excelente colocação. Macbook Pro usado nesses anos que você citou, custa 4mil com SSD, 8gb de ram, Core I5 4 geração, Intel Iris de 1.5gb e a excelente tela retina.

Rafael Moreira
Excelente colocação. Macbook Pro usado nesses anos que você citou, custa 4mil com SSD, 8gb de ram, Core I5 4 geração, Intel Iris de 1.5gb e a excelente tela retina.
Rafael Moreira

Prefiro comprar um macbook pro 13 retina usado 2013 ou 2014. Maquina aguenta 10 anos fácil, precisando de trocar só a bateria. Está mais barato que isso, e possui um baita sistema operacional. Ultimamente notebook vem cheio de tralha no Windows por conta das fabricantes. Até a Dell entrou nessa onda. Hoje os notebooks da Dell não é sinônimo de qualidade. Antigamente valia apena pegar Dell Latitude ou Vostro. Tenho um desktop Windows e de portátil pra mim só interessa mac. Sem mais..

Rafael Moreira
Prefiro comprar um macbook pro 13 retina usado 2013 ou 2014. Maquina aguenta 10 anos fácil, precisando de trocar só a bateria. Está mais barato que isso, e possui um baita sistema operacional. Ultimamente notebook vem cheio de tralha no Windows por conta das fabricantes. Até a Dell entrou nessa onda. Hoje os notebooks da Dell não é sinônimo de qualidade. Antigamente valia apena pegar Dell Latitude ou Vostro. Tenho um desktop Windows e de portátil pra mim só interessa mac. Sem mais..
Cristina Nascimento

Vdd, entre 3 e 5mil, só vem com hd de 5400 rpm, mas pode adicionar ou trocar por um ssd. Os preços aos poucos estão baixando.

Cristina Nascimento
Vdd, entre 3 e 5mil, só vem com hd de 5400 rpm, mas pode adicionar ou trocar por um ssd. Os preços aos poucos estão baixando.
Cristina Nascimento

Dell é só preço. Comprei um Toshiba Satellite com configurações bem melhores por um preço menor do q ela oferecia num note com quase todas as configs deste q tenho aki, fiz um ótimo negócio e não me arrependo!

Cristina Nascimento
Dell é só preço. Comprei um Toshiba Satellite com configurações bem melhores por um preço menor do q ela oferecia num note com quase todas as configs deste q tenho aki, fiz um ótimo negócio e não me arrependo!
Cristina Nascimento

Mas não tem teclado alfa numérico, não gostei.

Exibir mais comentários