Início » Gadgets » Jaybird X3: sem fios e sem dores de cabeça

Jaybird X3: sem fios e sem dores de cabeça

Ótima qualidade, bateria que dura e perfis de som personalizados são qualidades do X3

Por
50 semanas atrás

Quando eu comprei meu iPhone 7, que não tem entrada de 3,5 mm, resolvi mergulhar no mundo de fones de ouvido sem fio. Depois de alguma pesquisa, gostei do X3, da Jaybird, empresa que foi comprada pela Logitech em 2016 por US$ 50 milhões.

Os fones de ouvido da Jaybird normalmente recebem boas análises e percebi que o X3 era uma boa evolução ao modelo anterior, o X2, e não perdia muito em relação ao Freedom, que é ligeiramente mais caro. Será que vale a pena comprar um Jaybird X3? Eu conto nos próximos parágrafos.

Review em vídeo

Design e ergonomia

No geral, o acabamento do Jaybird X3 é excelente. Ele é emborrachado e ergonômico, então encaixa bem na sua orelha. O fio é achatado e mais grosso que o normal, o que o torna mais resistente.

Também voltado para quem pratica esportes, o Jaybird X3 é resistente à água, então você pode usá-lo em algum treinamento sem problemas. A fabricante diz que ele pode te acompanhar na chuva, lama e também resiste bem ao suor. Não costumo praticar esportes, mas o X3 se encaixa na minha orelha e não cai mesmo se eu virar a cabeça bruscamente.

Para regular o X3 na sua orelha, ele vem com três ponteiras de silicone, três barbatanas auriculares para fixar no “contorno” do ouvido e até três ponteiras de isolamento, que são feitas de espuma e ajudam a reduzir o som externo.

Os fones de ouvido também vêm com um acessório para regular o tamanho do cabo. Isso porque, entre as diferentes posições que você pode encaixar o X3, o cabo precisa ficar do tamanho certo para não prender em alguma coisa. Obter o encaixe perfeito requer algumas tentativas e erros para deixar os fones bem confortáveis para o seu uso. A Jaybird tem até um vídeo em que te ajuda a conseguir um bom encaixe:

Um detalhe chato é que o logo da Jaybird já está desgastando após três meses de uso.

Se não for o suficiente, o manual em PDF também explica (página 7) que você pode usar duas posições de barbatanas e também passar os fones por cima ou por baixo do ouvido, o que te agradar melhor.

Depois que eu entendi como esses acessórios funcionavam direito, consegui fazer com que os fones ficassem em uma posição bem confortável, no equilíbrio de não ficar fácil de cair e nem ficar me incomodando. Como o cabo fica menor por causa dos prendedores, o X3 fica bem fácil de guardar. Ele vem com uma bolsinha para você levá-lo por aí, mas eu acho mais prático simplesmente colocar os fones no bolso.

Qualidade de som e usabilidade

Não sou um audiófilo, então não vou fazer uma análise tão detalhada de cada aspecto do som do X3. Na minha experiência de usuário comum, me limito a dizer que a qualidade sonora do Jaybird X3 é excelente para os meus ouvidos (e provavelmente para os seus também). As características são bem equilibradas, com bons agudos e baixos bem profundos. O volume também é forte o suficiente: ele não estoura, nem fica muito limitado.

Se o perfil de som não for muito com a sua cara, dá para usar o aplicativo MySound para equalizar o áudio, disponível para Android e iOS. Ele tem vários perfis pré-definidos, como “assinatura”, “aumentar o baixo” e “sessões de R&B” para encaixar com o que você está ouvindo. É possível selecionar perfis de outros usuários e criar o seu próprio. A melhor notícia? Mesmo que você troque de dispositivo, o perfil continua salvo no Jaybird. De longe, um dos recursos que eu mais gostei no X3.

Nos controles, você pode aumentar (+) e abaixar (-) o volume, passar ou voltar a música (segurando os botões de + ou -) e até ativar a Siri ou Google Now segurando o botão do meio por um segundo. Devo notar que a batidinha sonora que toca para dizer que o fone foi conectado mostra bem a qualidade de som do X3.

É nessa base com os controles que também fica o microfone, que tem uma qualidade bem menor que o esperado para fones dessa faixa de preço. Além disso, ele fica em uma posição um pouco desvantajosa, porque a base pode estar atrás do seu pescoço e o microfone não vai captar nada. Eu sei que não dá para exigir muito de um headset wireless, mas é chato ter que desativar o Bluetooth toda vez que eu quiser mandar um áudio ou atender uma ligação (e não quiser competir com o ruído de fundo).

Em termos de usabilidade, você consegue deixar os fones de ouvido pareados com até oito dispositivos, e conectá-los com até dois simultaneamente. O gerenciamento dessa divisão até que é bom: percebo que o primeiro dispositivo que foi conectado é priorizado e, se nenhum som vir dele, o segundo dispositivo recebe uma autorização para furar a fila.

Apesar de deixar tanto o meu smartphone quanto meu laptop conectados simultaneamente ao X3, eu não fico alternando muito na reprodução por um curto período de tempo. Percebo que quando ele está conectado no computador, por exemplo, mesmo com o Spotify pausado, ele não toca imediatamente algo no celular, embora o contrário não aconteça.

Bateria e carregamento

Não tenho muito a reclamar por aqui: a bateria dura em torno de 8 horas de uso contínuo, como promete a Jaybird. A autonomia é boa o suficiente: consigo deixar o X3 até dois ou três dias fora da tomada. Curiosamente, a fabricante faz questão de explicar que a adição de mais graves ao perfil de som reduz a autonomia do tempo de reprodução.

A minha única “queixa” é o carregador, que não tem mais a entrada Micro-USB. Você precisa de um conector proprietário (este sim, com Micro-USB na outra ponta) para plugar o X3 na tomada. Eu sempre deixo ele preso em um cabo, mas é impossível recarregar o fone se eu esquecer o pequeno acessório em casa, o que é um grande inconveniente.

Conclusão

Por US$ 130, o Jaybird X3 vale a pena se você precisa de fones de ouvido sem fio. Ele é o melhor para a faixa de preço, com um acabamento de primeira e qualidade sonora excelente. O preço não é baixo, mas pode compensar por todas as características adicionais que a Jaybird colocou no X3, como o aplicativo para regular os perfis de som, a versatilidade de uso casual ou para esportes, além do acabamento e da usabilidade que não decepcionam.

Especificações técnicas

  • Alcance: 10 metros
  • Bluetooth: versão 4.1
  • Carregador: 5V e 0,5A
  • Codecs: AAC, SBC, SBC modificado
  • Dimensões: auricular de 27×24 mm e cabo com 490 mm de comprimento
  • Perfis Bluetooth: Viva-voz, fone de ouvido, A2DP, AVCRP, SPP
  • Peso: aproximadamente 13 gramas
  • Recarga rápida: 20 min = 1 hora de uso
  • Tempo de espera: 110 horas
  • Tempo de recarga: 2h30min
  • Tempo de reprodução: 8 horas